BIGtheme.net http://bigtheme.net/ecommerce/opencart OpenCart Templates
Home / Com a palavra / 52% dos brasileiros consideram o transporte público ruim ou péssimo

52% dos brasileiros consideram o transporte público ruim ou péssimo

140421_mobilidade

De acordo com o estudo realizado pela Expertise, 56% das pessoas gastam mais de uma hora por dia em deslocamento e 18% sofreram tentativa de assalto no trânsito nos últimos 12 meses

A mobilidade urbana é um tema recorrente no noticiário do país e fonte de insatisfação para boa parte da população que precisa usar o transporte público ou enfrentar o trânsito de carro. É o que comprova o estudo realizado em abril pela Expertise (www.expertise.net.br), uma das principais empresas de pesquisa e inteligência de mercado, em parceria com a Opinion Box (www.opinionbox.com), startup que oferece soluções digitais inovadoras para pesquisa de mercado e coleta de dados primários.

Foram ouvidos 1.256 entrevistados, de todos os estados da federação, entre homens e mulheres, pertencentes a todas as classes sociais. A pesquisa quis saber quais são as principais formas de transporte utilizadas pelos brasileiros. 39% afirmam que se locomovem principalmente de ônibus, 34% utilizam mais o carro e 11% se deslocam prioritariamente a pé.

A tensão e o medo são dois dos ingredientes mais comuns à rotina no trânsito. 26% dos respondentes afirmaram já ter participado de uma discussão acalorada no trânsito e 43% dos brasileiros sofreram algum tipo de agressão verbal nos últimos 12 meses, independentemente do meio de transporte que utiliza. A insegurança de fato interfere no dia a dia das pessoas: 1/3 das pessoas ouvidas afirmou que altera com muita frequência o caminho por medo da violência. Mas o número que mais chama a atenção é este: 18% dos entrevistados disseram que sofreram tentativa de assalto no trânsito nos últimos 12 meses.

O tempo gasto no trânsito também é um problema na rotina dos brasileiros. 56% dos entrevistados gastam mais de uma hora por dia se deslocando em sua cidade. Entre as pessoas que usam ônibus e metrô, o tempo médio gasto é ainda maior e muitas vezes chega a até 3 horas por dia. Além disso, 1/3 dos brasileiros já mudou ou pensa em mudar de endereço por conta da distância da casa para o trabalho e 40% já recusaram ou desistiram de um emprego devido à distância ou dificuldade de locomoção.

Para fugir do trânsito caótico, 1 em cada 5 entrevistados afirmaram ficar com frequência mais tempo no trabalho para não ter que enfrentar seu período mais intenso. Para poder ganhar tempo ou descobrir as melhores rotas, muitos se valem dos dispositivos tecnológicos. Metade dos entrevistados afirmaram usar o celular ou o tablet para se informar sobre as vias mais congestionadas, estejam de carro ou no transporte público. A tecnologia também está a serviço daqueles que querem dar um “jeitinho”: 1 em cada 5 pessoas assumiram utilizar aplicativos para saber onde estão as barreiras policiais.

Curiosamente, os participantes da pesquisa também se mostraram bastante solidários. 64% das pessoas disseram ter o hábito de dar ou pegar carona com colegas de trabalho. Desses, 20% o fazem com bastante frequência.

Com base neste cenário, não chega a ser surpreendente que, independentemente da forma como se locomove, 52% dos brasileiros consideram o transporte público ruim ou péssimo, e apenas 11% o avaliam como bom ou ótimo. Além disso, 66% acham que o deslocamento em sua cidade piorou nos últimos 12 meses e 41% afirmam que está muito pior. As expectativas para o futuro também não são boas: 49% acham que este cenário tende a piorar nos próximos 12 meses, e apenas 23% acreditam que a situação pode melhorar. “Esse estudo nos dá um panorama interessante da mobilidade urbana no país. Independentemente do meio de transporte que utiliza, as insatisfações são praticamente as mesmas e a população mostra que tem urgência em ver melhorias. A premissa de que passamos boa parte do tempo em deslocamento e no trânsito constante é verdadeira. Um tempo precioso, que poderia ser de alta produtividade e dedicado à qualidade de vida e bem-estar, acaba perdido”, avalia Christian Reed, CEO da Expertise.

Quando questionados sobre possíveis soluções para melhorar o trânsito, alguns dados não deixam dúvidas: 92% são a favor de faixas exclusivas para ônibus, e também 92% concordam com a instalação de ciclovias. 6 em cada 10 dos brasileiros são a favor do rodízio de carros. Mesmo entre os que utilizam os automóveis, 45% são a favor. Além disso, quase metade (45%) dos respondentes do estudo disse ser a favor da diminuição das vagas para estacionamento em regiões mais movimentadas da cidade.

Por outro lado, somente 17% da população é a favor de pedágios em áreas mais movimentadas e apenas 1 em cada 10 pessoas é a favor do aumento no valor dos impostos para a compra de carros a fim de diminuir o número de veículos nas ruas. “Ao mesmo tempo em que as pessoas não querem permanecer no trânsito, também acham que a compra de veículos não deve ser dificultada. Independentemente das dificuldades no trânsito brasileiro, as pessoas entendem que elas têm o direito de comprar e utilizar um veículo próprio. Eles ainda são objeto de desejo”, conclui Reed.

A margem de erro é de 2,5 pontos percentuais.

***

Scaramella Press / Fabiana Scaramella/Paula Yokoyama

52% dos brasileiros consideram o transporte público ruim ou péssimo

Sobre * Equipe MOTONAUTA

Além disso, verifique

A trajetória de Ayrton Senna é contada em quadrinhos

Com sua genialidade dentro das pistas, Ayrton Senna da Silva conquistou muito mais do que ...

6 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *