BIGtheme.net http://bigtheme.net/ecommerce/opencart OpenCart Templates
Home / Noticia / Categoria Jeep dita história no Transcatarina

Categoria Jeep dita história no Transcatarina

Cerca de 20 carros antigos são esperados para continuarem a desbravar as trilhas do estado em julho de 2012.

Willys, F75, Toyota Bandeirante… Atualmente é difícil ver esses modelos tão antigos participarem com frequência de provas de longa distância, mas há três anos a SC Racing abre espaço no Transcatarina para que os guerreiros continuem fazendo história. Eles são os precursores dos carros fora de estrada vendidos atualmente, mas não saíram de moda. A categoria Jeep mostra a cada ano que existem muitos fãs dos jipões, pessoas que gostam de se aventurar de forma diferente, fazendo o rali praticamente na raça.

Uma dupla de Toledo, região oeste do Paraná, se inscreveu para a quarta edição de um dos maiores ralis de regularidade do país. Aroldo Nery e Rogério Chini gostam literalmente de aventura, com todas as dificuldades possíveis e há três anos disputam o Transcatarina em uma Ford F75 amarela ano 1972. “Tenho este carro há uns oito anos e antes tive um Willys. O desafio de fazer rali com esse tipo de jipe é muito maior do que com os demais. É um modelo rústico, sem muita tecnologia e somos mais precários por não termos capotas fechadas, rígidas, nem mesmo um ar condicionado!”, conta o corretor de imóveis e piloto Aroldo.

Apesar dos pesares, a dupla não se vê participando de outra categoria em um carro diferente, justamente por todos compartilharem mais das surpresas do rali: “As nossas dificuldades maiores são as quebras do carro. A gente vai arrumando o jipe, ajudamos outra equipe num outro dia e percebemos que existe um companheirismo muito grande na categoria. Somos mais entrosados do que as duplas das outras categorias, pois todos na Jeep sabem o quanto é difícil completar os três dias de prova”, relata o piloto.

Para o navegador, percorrer os cerca de 800 quilômetros de prova é uma emoção sem igual: “Tem que ter garra para andar nessa categoria! Um rali desse porte, longo e a bordo de um jipe é só pra quem aguenta! O carro é guerreiro como a dupla que está dentro dele. Gosto muito de navegar, mas só de andar em jipes antigos. A dificuldade é a gente conseguir manter o carro nas médias de velocidade exigidas e com o porte que ele oferece. A gente acaba fazendo parte da história dos jipes, pois estamos preservando sua memória”, diz o empresário Rogério.

O investimento das equipes inscritas na categoria Jeep costuma ser maior do que os outros carros. Aroldo Nery, por exemplo, afirmou ter gasto o valor referente a dois Troller’s para trocar o motor de sua F75 e fazer toda a preparação possível para ela finalizar um Transcatarina. O incentivo vem da turma que os acompanha. Junto com a dupla, irão participar mais três carros no 4º Transcatarina e uma equipe grande com cerca de 30 pessoas, incluindo amigos e familiares.

As inscrições estão acabando. Mais de cem equipes estão garantidas na edição 2012 do maior rali de Santa Catarina. Para se inscrever nas categorias Super Master, Graduados, Jeep, Junior, Turismo Light e Turismo Adventure basta acessar o site www.transcatarina.com.br.

Ensimec renova pela quarta vez

Uma das maiores fabricantes do país de guinchos e equipamentos industriais novamente irá ajudar a viabilizar o Transcatarina. A Ensimec será parceira do rali pelo quarto ano consecutivo e também está colhendo frutos com o evento: “Pela edição deste ano percebi um grande crescimento na publicidade e no número de competidores. Isso mostra que o Transcatarina está numa fase de sucesso. O retorno para a Ensimec pelo seu investimento no evento foi bem positivo. Resolvemos renovar principalmente pela grande divulgação que o rali teve em todo o estado e no país”, afirma o presidente da Ensimec, Franco Gommersbach.

A fabricante já bateu sua meta de crescimento deste ano sem mesmo terminar o mês de dezembro, chegando a R$ 4 milhões e 700 mil. Segundo Franco, a meta da empresa há cinco anos é crescer pelo menos 30 por cento e até hoje sempre ultrapassaram a marca. Somente no segmento off road, o retorno de mídia que a Ensimec tem fica em torno de 70 por cento do que é investimento. “Fabricamos semi-eixos, bloqueio de diferencial e fazemos reforma de diferencial. Nosso faturamento mensal no off road gira em torno de R$ 100 mil por mês e anualmente chega a R$ 1 milhão e 280 mil”, conta Franco. O empresário e jipeiro ainda não sabe se irá andar na categoria Turismo Light em 2012, mas disse que está nos planos.

O Transcatarina tem o patrocínio: Ensimec, Hotel Renar, Hankook Pneus, Troller e Santur.

Apoio: Prefeitura de Balneário Camboriú, Prefeitura de Lages, Prefeitura de Rio do Sul, Prefeitura de Fraiburgo, Prefeitura de Apiúna, Prefeitura de São Cristovão do Sul, Lave Bem Lavanderia, Recanto das Águas Resort e Spa, Grafimax, Revista Planeta Off Road, Licia, Blukit, Posto Brasília/Ipiranga, Ativa Comunicação, ATF Embreagens, Astra Embreagens, Trilha SC Troller, Amortecedores Offshox, Reunidas, Altermed, Megaforth, Governo do Estado de Santa Catarina, Funturismo e Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte.

Supervisão: Fauesc. Realização SC Racing em parceria com o Jeep Clube de Blumenau.

Visite www.transcatarina.com.br

Siga no Twitter: www.twitter.com/transcatarina

Facebook: http://www.facebook.com/profile.php?id=100001818081240

?

fonte: AcelerAção Assessoria de Imprensa / Caroline de Paula. Foto: Junior Almeida

 

 

Sobre * Equipe MOTONAUTA

Além disso, verifique

Evento inédito reúne gastronomia, as melhores motos do Brasil e muito lazer

Um evento diferenciado no qual o público poderá passar um final de semana divertido e ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *