BIGtheme.net http://bigtheme.net/ecommerce/opencart OpenCart Templates
Home / Avaliações / Harley Davidson 2011 V-ROD Muscle … avaliamos!

Harley Davidson 2011 V-ROD Muscle … avaliamos!

Em 2001, a Harley Davidson apresentou a V-Rod para atrair os pilotos mais jovens. A fórmula utilizada foi radical para os fãs da marca. Motor refrigerado a água desenhado pela Porsche, quadro hidroformado (os tubos do quadro são moldados por água em alta pressão possibilitando uma maior resistência estrutural em suas curvas) e um visual moderno perto dos modelos existentes.

A polêmica V-Rod passou por diversas modificações ao longo dos anos, e a V-Rod Muscle é a mais recente tentativa da Harley Davidson para atrair o público que não gosta de motos esportivas.

O motor Revolution é baseado na Superbike VR-1000 de corrida, desenvolvido pela equipe de engenharia da Harley e Porsche em Stuttgart , Alemanha . Ele tem refrigeração líquida, comando no cabeçote e cilindro em V a 60º.

Esse motor de 1247 cm³ produz 122 cv e tem um torque de 12,8 kgf.m a 6750 rpm. A entrada de ar é coberta por uma malha de ferro, e assim como todas as V-Rods, sua transmissão conta com 5 marchas.

Sua estrutura de aço hidroformado dá linha à moto e fica aparente, sua balança traseira polida feita de alumínio fundido é quase uma obra de arte.

A  suspensão traseira bi-choque é ajustável na pré-carga e é responsável por amortecer a roda de 18 polegadas, com nada menos que um pneu de medida 240/40 da Michelin.

Na frente, a suspensão conta com garfos invertidos de 43 milímetros não ajustáveis e a roda dianteira de 19 polegadas usa pneus com medida 120/70.

Os freios, de quatro pistões na dianteira com discos duplos e disco simples na traseira também com pinça de quatro pistões, são da marca Brembo.

Curioso é o sistema ABS (existente na versão avaliada), que ao contrário dos outros fabricantes que utilizam um disco vazado para saber quando as rodas estão travadas, na V-Rod os sensores são colocados no eixo de cada uma das rodas, tornando imperceptível o sistema. Somente a luz indicadora do painel denuncia sua existência.

Ao todo, a V-Rod Muscle pesa 307 quilos (em ordem de marcha), e a capacidade do tanque de combustível é de 18,9 litros que fica posicionado embaixo do banco, uma melhora significativa em relação às versões anteriores da V-Rod.

A V-Rod Muscle tem um visual agressivo, logo ao subir vem a confirmação: é baixa, larga e seu peso assusta na primeira vez que recolhemos o descanso lateral. A posição dos pés é clássica, o que significa que a postura de pés fica para frente. Os fãs de Harley vão achar completamente normal, mas os pilotos de motos esportivas ou street estranham no começo.

No local do tanque de combustível temos a caixa do filtro de ar, ela é larga e requer que as pernas fiquem abertas, o alcance do guidão não me deixou esticado, porém a ergonomia para meus 1,84 metros exigiu esforço, mas controlável durante várias horas de condução.

Seria bem vindo um ajuste na posição do guidão para que ele pudesse ser recuado, diminuindo o arco formado pelo corpo trazendo mais conforto, principalmente para quem tem o abdome avantajado. O ângulo de esterço é pequeno e exige muito do piloto nas manobras. Essa é uma característica de motos longas como a V-Rod (2410 m de comprimento) e pneus largos. Outro cuidado fica para os baixinhos não queimarem as pernas nos escapamentos posicionados um em cada lado.

On the Road

Nossa avaliação dinâmica foi realizada no roteiro padrão do Motonauta e em outras pequenas viagens, além do uso urbano durante toda a semana em que ficamos com a motocicleta. A média geral de consumo foi de 15,3 km/l, sendo 13,8 km/l na cidade, 16,2 km/l na estrada ou ainda 10,5 km/l quando “brincamos” de arrancada. Boas marcas, considerando que ela é praticamente um dragster.

Cidade

Na cidade a V-Rod se sente um “peixe fora d’água”. Ela é longa, esterça pouco, larga e pesada em baixa velocidade. Mesmo com a embreagem de acionamento leve, câmbio com engates precisos, e aproveitando seu grande torque para minimizar as trocas de marcha, não é possível desenvolver uma pilotagem prazerosa.

Em congestionamentos, o motor aquece e o ar vai direto para as pernas causando desconforto. Mas temos que considerar que ela não foi feita com esse intuito, praticamente tudo o que vemos de “defeitos” são características.

Estradas em Serra

Em curvas de baixa velocidade ou raio fechado, característicos deste ambiente, a V-ROD deve ser conduzida com cuidado quando comparada a uma moto street ou esportiva. Seu pneu largo a torna pesada para inclinar e pedaleiras baixas limitam o ângulo de inclinação e com isso a velocidade de cruzeiro, mas nada alarmante, somente uma adaptação ao estilo de pilotagem.

A suspensão e chassis se comportaram muito bem, sem atingir fim de curso ou torções. Mesmo no asfalto ruim, o pneu traseiro não perde contato e proporciona excelentes saídas de curva ainda com a moto inclinada e sem esboçar qualquer perda de aderência. Esse é o mérito do pneu 240 mm que mantém sempre muita borracha em contato com o asfalto.

Auto-Estradas

Feita para auto-estradas (ou pistas de arrancada), a V-Rod e seus 122 cv mostram serviço e competência. Qualquer que seja sua velocidade, basta girar o acelerador para que a moto salte para frente e ganhe velocidade rapidamente, sempre de forma controlável e previsível.

Os freios, dotados de ABS, param a moto de forma segura, porém em piso ruim ou ondulações, os sensores não conseguem identificar corretamente essa situação e alivia a pressão dos freios mais que o desejável.

Resumo

A linha V-Rod sempre foi polêmica e nem sempre foi bem sucedida comercialmente (lembra-se da Street Rod?). Mas a V-Rod Muscle leva a moto cruiser a outro patamar, oferecendo um rápido e poderoso passeio com a presença de um ronco grave.

Ela não é perfeita, mas não tem mistério em afirmar que ela é mais sexy do que prática. Seja na garagem, na estrada ou mesmo na sala de estar, a V-Rod Muscle fará seus amigos babarem.

Ficha Técnica

DIMENSÕES UNIDADES MÉTRICAS
Comprimento 2410 mm
Altura do assento
Descarregada 705 mm
Distância mínima do solo 105 mm
Ângulo de cáster da coluna de direção 34 °
Trail 142 mm
Distância entre eixos 1700 mm
Capacidade do tanque de combustível 18.9 L
Capacidade do tanque de óleo 4.7 L
Peso
Peso seco 292 kg
Ordem de marcha 307 kg
Capacidade de bagagem
Volume N/A
Peso N/A
POWERTRAIN
Motor Refrigerado a água, Revolution®, V-Twin 60°
Cilindrada 1247 cm³
Diâmetro x pistão 105 mm / 72 mm
Torque do motor EEC/95/1
Torque do motor 12,8 kgf.m @ 6750 rpm
Sistema de combustível Injeção Eletrônica de Combustível por Porta Seqüencial (ESPFI)
Taxa de compressão 11.5:1
Transmissão Primária Engrenagem, relação 64/117
Relação de transmissão
1.o 10.968
2.o 7.37
3.o 5.901
4.o 5.094
5.o 4.563
6.o NA
RODAS/PNEUS
Rodas
Dianteira Prateada, 5 raios de alumínio fundido
Opção de roda N/A
Traseira Prateada, 5 raios de alumínio fundido
Tamanho do pneu
Dianteira 120/70ZR19 60W
Traseira 240/40R18 79V
ELÉTRICA
Instrumentos Velocímetro eletrônico com odômetro, relógio no odômetro, odômetro parcial duplo, indicador de combustível equipado com luz indicadora de nível baixo de combustível e recurso de contagem regressiva, luz indicadora de baixa pressão do óleo, leitura do diagnóstico do motor, luzes indicadoras LED, tacômetro
Lâmpadas indicadoras Farol alto, ponto morto, baixa pressão do óleo, luzes indicadoras de direção, diagnóstico do motor, sistema de segurança, temperatura do líquido de refrigeração e indicador de nível baixo de combustível
CHASSI
Freios Dianteiro e traseiro com 4 pistões
Freio de estacionamento N/A
Ângulo de inclinação 32 / 32 °
Sistema de escapamento Cromado acetinado, sistema de escapamento com dois lados
OPÇÕES DE CORES
Opções de cores Vivid Black
Brilliant Silver Pearl
Chrome Yellow
White Hot Denim

 

Sobre Claudinei Cordiolli

Analista de Negócios formado pela Unibero, empresário no ramo de ERP´s para o setor Imobiliário. Participação em diversas provas de Enduro no final da década de 1990 e início dos anos 2000 mudou para a pilotagem esportiva onde continua pilotando (mas não competindo) até hoje. Apaixonado por Fotografia fez trabalhos para diversos sites e para o Jornal Diário de São Paulo. Hoje faz fotografia esportiva para a Taça São Paulo de Supermoto e trabalhos de freelancer. Atual colunista do site Motonauta para a seção de Avaliações e alguns editoriais sempre apresentando ao público sua opinião sem ter o "rabo preso" com nenhum fabricante ou marca.

Além disso, verifique

Kawasaki Versys 1000 é diversão garantida

Há uma coisa estranha acontecendo na categoria de moto aventura. Toda a categoria foi criada ...

9 comentários

  1. Ola,

    Acabei de comprar uma dessa com base em suas explicações, realmente muito linda! A estarada que me aguarde! E quem disse que mulher nasceu par pilotar a cozinha?

    Obrigada!
    Beatriz

  2. Naelson Fernanades

    Tenho uma Shadow 750 / 2007 , mas meu sonho é ter uma dessa e como o preço agora ficou mais em conta, fazer umas economias e se DEUS quiser, ano q vem estarei estreiando uma aqui em minha cidade …

  3. Wellingtons

    Oi gostaria de saber, qual a altonomia dela na estrada e na cidade, sera que voces saberiam me informar ?

  4. essa moto é maravilhosa!!! potente e linda e agora com o preço justo R$ 46.900,00 mais emplacamento de aproximadamente R$ 1.000,00 !!! logo logo veremos muitas dessas nas ruas !!!

  5. * Equipe MOTONAUTA

    Mês de referência: Setembro de 2011
    Código FIPE: 810050-0
    Marca: HARLEY-DAVIDSON
    Modelo: V-ROD 1250cc Muscle VRSCF
    Ano Modelo: Zero KM a gasolina
    Preço médio: R$ 49.035,00

  6. queria saber o preco

    queria saber o preco desta grandiosa moto

  7. Getúlio de Mello Pereira

    Gostei muito desta máquina, tenho uma Hayabusa 2011, e gostaria de saber o prêço dela.
    Agradecido.

  8. Carlitos Linda tu pagina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *