BIGtheme.net http://bigtheme.net/ecommerce/opencart OpenCart Templates
Home / Avaliações / Honda CBR 600F 2012 … avaliamos!

Honda CBR 600F 2012 … avaliamos!

Lançada no Brasil no final de 2011, a Honda CBR 600F chega ao mercado como opção esportiva usando a mesma base da líder CB 600 Hornet.

Uma moto fácil e divertida de conduzir. Assim podemos resumir a CBR 600F, uma moto confortável como a Hornet de onde herdou o motor, chassi, banco e lanterna traseira.

O tanque de gasolina é ligeiramente diferente que o utilizado na sua irmã naked (comporta 18 litros contra os 19 litros da Hornet), já as suspensões dianteira e traseira contam com regulagens de pré-carga das molas e compressão como a que equipa a Hornet vendida na Europa e infelizmente indisponível no modelo nacional.

O painel de instrumentos é o mesmo utilizado na versão naked. Completo conta com conta-giros, relógio, temperatura, marcador de combustível, velocímetro, consumo imediato (útil na estrada) e consumo médio.

Sua visualização durante o dia é de difícil leitura por causa do reflexo do céu. Minha altura de 1,84m faz o reflexo ficar exatamente na minha linha de visão, então ao olhar para baixo vejo só as nuvens. O João Tadeu que é ligeiramente mais baixo (com 1,75m) não teve este problema e a visualização é boa para ele. Neste caso fez falta a possibilidade de ajuste do ângulo do painel (recurso que existe na Kawasaki Z1000).

A CBR usa semiguidões no lugar do guidão convencional. Sua postura ficou ligeiramente avançada, mas não incomoda. Podemos afirmar que o posicionamento ficou entre a radical CBR600RR e a naked Hornet. Uma boa opção para quem é alto e não se “encaixa” nas superesportivas de 600cc.

Na versão avaliada não estava disponível o sistema C-ABS (Combined Anti Brake System), um opcional que eleva o valor em R$ 3 mil, mas adianto que vale cada centavo para quem utiliza a moto na estrada e cidade. Quem espera utilizar a motocicleta também em track-days pode preferir a versão sem C-ABS.

Cidade


A motocicleta chama muita atenção por onde passa, seja pela novidade, seja pelas cores do HRC utilizadas na unidade avaliada. Perguntas como preço, seguro e manutenção são o que mais ouvimos. A maior surpresa é quando descobrem que a diferença de valor entre ela e a Hornet é de apenas R$ 1.700,00 com a vantagem da carenagem e regulagem nas suspensões.

A primeira impressão ao ver uma moto com semiguidões é que ela tem pouco ângulo de esterço, mas na prática ela esterça como na naked e foi muito fácil manobrar entre os carros próximos aos semáforos. Neste momento o escapamento curto e de ótimo acabamento ajudou e muito nas manobras.

Como em quase todas as motos carenadas os retrovisores ficam posicionados exatamente na altura dos retrovisores dos carros e foi preciso recolhê-los em várias oportunidades para circular sem preocupação.

O motor de 599,3cm³, 4 cilindros, 16 válvulas com refrigeração líquida coberto pela carenagem joga ar quente nas pernas caso fiquemos parados nos congestionamentos. Mas basta começar a rodar que este “problema” desaparece.

As suspensões tem um ajuste firme e confortável absorvendo muito bem as irregularidades das ruas e transferindo poucas pancadas para o piloto. A carenagem não apresentou nenhum barulho quando passávamos no asfalto ruim mostrando um bom acabamento e encaixe das partes plásticas.

O posicionamento um pouco mais avançado que na Hornet não incomodou no dia a dia, bastou assumir a postura correta sobre a motocicleta pressionando o tanque com as pernas, desta forma o peso do corpo não sobrecarrega os punhos principalmente nas frenagens.


Estrada

Feita para este ambiente, a CBR 600 F se mostrou rápida e confortável, possibilitando trafegar por longos períodos sem cansar.

O torque máximo de 6,53kgf.m é atingido a 10.500rpm, mas boa parte já está disponível a partir dos 6 mil rpm e sua potência máxima de 102cv é atingida aos 12 mil rpm possibilitando uma rápida aceleração e ultrapassagens seguras.

O garupa é bem vindo na CBR 600 F, afinal ela herdou o banco e pedaleiras da versão naked. Esse é mais um atrativo desta moto com cara de esportiva e características sport-touring. Se você estava esperando uma motocicleta esportiva e não quer judiar da(o) companheira(o) esta é uma ótima opção.

O consumo médio da avaliação foi de 17,2 km/l obtendo uma autonomia teórica de 309km com seu tanque de 18 litros.

Track-days / Autódromos

Recebemos o convite do Geraldo Tite Simões, instrutor do curso SpeedMaster (http://www.speedmaster.com.br ) para rodar com a CBR 600 F no autódromo do ECPA (Esporte Clube Piracicabano de Automobilismo) localizado em Piracicaba-SP.

Aqui foi possível levar a CBR ao extremo, afinal aqui não temos caminhões, pedestres, cachorros, sujeira na pista ou sabe Deus o que mais.

Após algumas voltas “no limite” foi possível ver as limitações principalmente na suspensão que necessitaria um novo acerto (mais firme), as pedaleiras que raspam no asfalto com certa facilidade e o freio que após muitas voltas ficou borrachudo neste circuito travado.

Não foi notada nenhuma torção significativa de chassis e nem tendência a sair de frente nas curvas. A ciclística da CBR 600F se mostrou muito equilibrada e segura mesmo em uma pilotagem rápida.

Se você sentir estas “limitações” é porque a moto que você procura é uma CBR600RR. Ganha desempenho esportivo, mas sacrifica o conforto e versatilidade desta excelente motocicleta.

Conclusão

Se você busca uma moto para viajar com garupa (ou sem) de maneira confortável.

Uma moto para usar no dia a dia desde que circule por grandes avenidas e não enfrente congestionamentos.

Busca diversão nos autódromos em dias de track-days.

A Honda CBR 600F pode ser sua próxima motocicleta.

Ficha Técnica

Motor DOHC, 4 cilindros em linha, 4 tempos, arrefecido a líquido
Cilindrada 599,3cm³
Sistema de alimentação Injeção eletrônica PGM-FI
Potência máxima 102cv a 12.000rpm
Torque máximo 6,53kgf.m a 10.500rpm
Transmissão 6 velocidades
Sistema de partida Elétrica
Capacidade do tanque 18 litros
Tipo de chassi Diamond em alumínio
Comprimento x largura x altura 2.150 x 742 x 1.152mm
Pneu dianteiro 120/70 – ZR17
Pneu traseiro 180/55 – ZR17
Peso seco 191kg (Standard)
196kg (C-ABS)
Cores Branco e preto
Especificação para o transporte de carga Modelos especificados e não especificados para o transporte de carga
Clique aqui e saiba mais
Preço R$ 32.500,00 (Standard)*
R$ 35.500,00 (C-ABS)*

*O valor acima refere-se ao preço público sugerido, base São Paulo, para pagamento à vista, e não inclui despesas com frete e seguro.

Sobre Claudinei Cordiolli

Analista de Negócios formado pela Unibero, empresário no ramo de ERP´s para o setor Imobiliário. Participação em diversas provas de Enduro no final da década de 1990 e início dos anos 2000 mudou para a pilotagem esportiva onde continua pilotando (mas não competindo) até hoje. Apaixonado por Fotografia fez trabalhos para diversos sites e para o Jornal Diário de São Paulo. Hoje faz fotografia esportiva para a Taça São Paulo de Supermoto e trabalhos de freelancer. Atual colunista do site Motonauta para a seção de Avaliações e alguns editoriais sempre apresentando ao público sua opinião sem ter o "rabo preso" com nenhum fabricante ou marca.

Além disso, verifique

Versys 1000

Kawasaki Versys 1000 é diversão garantida

Há uma coisa estranha acontecendo na categoria de moto aventura. Toda a categoria foi criada ...

5 comentários

  1. @Leonardo,

    Se tem medo de c***r, não come! Seguro está aí pra isso!

  2. A moto é legal, mas o painel!
    conta-giro tem que ser analogico. vamos ver se 2013 eles mudam..

  3. moto iper mega paler maneira a minha preferida è a branca com vermelha

  4. Compra hoje, o ladrão leva amanhã.

    Moto assim é boa na vitrine e na mão dos outros…

  5. Eu pegaria essa moto HOJE se o seguro ficasse abaixo dos 2000.

    Na verdade pegaria qualquer moto grande, nem que seja parcelado, se eu não tivesse que gastar com seguro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>