BIGtheme.net http://bigtheme.net/ecommerce/opencart OpenCart Templates
Home / Avaliações / Honda XL700V Transalp … primeiras impressões

Honda XL700V Transalp … primeiras impressões

O Motonauta esteve hoje no lançamento da Transalp na Fazenda Itupeva (interior de São Paulo), e teve a oportunidade de rodar uma tarde inteira com a moto que deve balançar o mercado de Mid-Trail, hoje protagonizados pela Kawasaki Versys, Suzuki VStrom 650 e BMW G650 (suas concorrentes diretas).

A nova Transalp tem um rodar suave já a partir das 2750 rpm, a resposta do acelerador é linear em toda a faixa de rotação, mas o motor mostra-se mais enérgico e vibrante a partir dos 6500 rpm.

A faixa vermelha é atingida aos 8000 rpm sem nenhum estresse, mas em velocidades elevadas, a frente parece flutuar sem apresentar riscos à pilotagem.

Mas esta não é uma moto esportiva; em um uso normal ou em velocidade de cruzeiro de 120 km/h, a rotação ficará abaixo dos 6500 rpm. Neste ritmo, a vibração e a tendência da frente flutuar desaparecem completamente.

O câmbio de cinco marchas é bem escalonado e tem acionamento preciso (claro que uma sexta marcha over-drive é sempre bem vinda). O acionamento da embreagem não chega a ser pesado – mesmo sem acionamento hidráulico – e contribui com o conforto que todo o conjunto passa ao piloto.

Os freios com duplo disco na dianteira e simples na traseira têm muita potência e, se acionado com vontade, faz com que a frente faça um longo mergulho e causa um pouco de oscilação. Para minimizar esse efeito, basta usar o freio traseiro para firmar o conjunto. A Honda disponibiliza também a versão com C-CBS, que distribui a frenagem entre as duas rodas quando acionado o pedal de freio traseiro, e a vibração existente no pedal e no manete se manteve discreto e sem incomodar.

Logo você aprende a fazer todas as frenagens antes de chegar a uma curva – então você pode contornar com velocidade constante e acelerar novamente na saída.

A suspensão é macia e bem amortecida, ideal para uma moto de turismo. O pequeno trecho de terra enfrentado na apresentação foram superados facilmente sem passar solavancos para a coluna. Estradas com excesso de lama e areia fofa devem ser evitadas, pois os pneus Dunlop chegam logo ao seu limite, mas deve-se lembrar que ela é uma moto para turismo e não enduro.

A carenagem foi uma surpresa em vários níveis: é mais ampla na altura de 1,5 m (altura do teto da maioria dos carros – muito importante no trânsito), mas consideravelmente mais estreita acima disso. A primeira vista a qualifica para uso diário, mas somente em uma avaliação mais longa poderemos confirmar.

O painel de instrumentos é digital com conta-giros analógico (parece que o mercado não gostou do conta giros digital), bem disposto e de bom gosto. No LCD há números para velocidade, tempo e distância e um marcador de combustível em barras, tudo muito lógico e legível.

O banco é largo, plano e bem acolchoado, trazendo em mente a vontade de rodar por horas e horas a fio. Mas quando parado, o banco, que é largo também na frente, mostra que os mais baixinhos (abaixo de 1,70 m) terão problemas para alcançar o chão, já que seu assento está posicionado a 841 milímetros do chão. A garupa vai bem acomodada a primeira vista, mas só em uma avaliação mais longa será possível comprovar seu conforto.

A qualidade na fabricação segue a de toda a linha Honda. Um ótimo produto com preço competitivo e que logo será visto em quantidade nas ruas e estradas.

adicionado em 15/03/2012
Avaliação completa clique AQUI 

Sobre Claudinei Cordiolli

Analista de Negócios formado pela Unibero, empresário no ramo de ERP´s para o setor Imobiliário. Participação em diversas provas de Enduro no final da década de 1990 e início dos anos 2000 mudou para a pilotagem esportiva onde continua pilotando (mas não competindo) até hoje. Apaixonado por Fotografia fez trabalhos para diversos sites e para o Jornal Diário de São Paulo. Hoje faz fotografia esportiva para a Taça São Paulo de Supermoto e trabalhos de freelancer. Atual colunista do site Motonauta para a seção de Avaliações e alguns editoriais sempre apresentando ao público sua opinião sem ter o "rabo preso" com nenhum fabricante ou marca.

Além disso, verifique

Kawasaki Versys 1000 é diversão garantida

Há uma coisa estranha acontecendo na categoria de moto aventura. Toda a categoria foi criada ...

64 comentários

  1. Naiber José de David

    Cada vez mais satisfeito, a Honda sabe mesmo agradar quem gosta de moto!

  2. Naiber José de David

    Bem, rodados os primeiros 4000 km com a transalp, vejo que é a moto que eu procurava….muito forte, viajo , sobe e desce e não se troca de marcha… segura, agradável de pilotar……quanto faz por litro… nem sei, acho que uns 18….. mas o forte dela não eh essa diferença de 2 ou 3 litros para mais ou para menos, mas sim conforto e força…Show, muito satisfeito… e mais, é Honda!

  3. Naiber José de David

    Lí mais de 2000 depoimentos, minha duvida era entre as 5, BMW 650, Versys, XT zona, V stron 650 e Transalp. Acabou a dúvida, já comprei uma TA deve chegar em 20 dias.
    Ela é exatamente o que procuro em uma moto!

  4. Nelson de Barros

    A Transalp tem um limitador quando o motor atinge 7.850 giros. Quem quiser testar é só acelerar em ponto morto, quando passar desse limite, vai perceber o corte do motor.

  5. Fala ae camaradas , tenho visto muita gente reclamar que a transalp bebe muito . A minha esta com 10000km e nunca fez menos de 20km/l sempre com garupa e bastante bagagem. Na ultima viagem para SRR no litoral chegou a fazer 23,4km/l. Bem marcado e abastecido sempre na mesma marca do gargalo.Agora não sei se a minha foi premiada mas estou muito contente com ela .

  6. Paulo Adriano

    Buenas comprei minha transalp com freios abs, estou gostando é um cavalão anda muinto por enquanto ñ tenho do que me queixar é só alegria!!

  7. Ao meu ver essa Transalp é feia (gosto meu), nao tem a 6 marcha que para viagens longas é muito importante, suspensão estilo Falcon (mole pra caramba), só que o brasileiro gosta de marca e ela é Honda, outra coisa, sem falar no preço né, pra mim melhor moto do mercado nesse segmento hoje se chama Kawasaki Versys, estou adquirindo uma até meio do ano e a moto é um espetáculo.

  8. Aecio parabéns pela viagem e pelo relato, me ajudou muito. obrigado

  9. Eu tinha uma Moto Honda Shadow 600, que deixou muita saudade, mas eu minha parceira queriamos algo mais, pois iriamos nos aventurar em uma viagem de aproximadamente 5.500 KM (ida e volta), e eu sabia que a Shadow 600 iria nos cansar muito, ai começou a tortura, qual moto ideal seria pra esta aventura, a principio a opção seria uma moto Suzuki DL1000, mas não tinha mais zero, pois inteligentemente a Suzuki tirou do mercado a 1000, colocando a 650 e dando espaço pra as concorrentes.
    Resumindo, teria cinco opções de moto: Suzuki V Stron DL650, Yamaha XT660R, BMW G 650GS, Kawasaki Versys e a Honda XL 700V Transalp..
    Pesquisei na internet todas as marcas, e olha que foram várias pesquisas, mas não o suficiente para eu bater o martelo e comprar tal marca. Inclusive contactei com o melhor mecânico da minha cidade, me ajudou muito, mas faltava algo para decidir, e este algo seria o conforto meu e da minha parceira, pq muitos se preocupam com o produto, a marca, o modelo, mas esquecem que é a sua bunda que vai ta lá no banco, e consequentemente a sua coluna. Pois sempre digo, moto nova (zero KM) não deixa na mão, não importa a marca. Como foi que resolvi a compra juntamente com a parceira, pois a opinião dela é muito importante, porque é ela que vai ta lá sentada no banco: 1) Conforto: Transalp e DL 650 que dariam mais conforto, pois o banco são largos. 2) Qualidade: BMW a frente de todas, principalmente em acabamento, mas o custo seria muito alto. 3) Tanque: não me preocupei muito com isto, pois qualquer uma delas faria um percurso no mínimo 250KM, o suficiente para uma parada. 4) Preço: Achei a Transalp um pouco fora da realidade dos Brasileiros. 5) Assistência Tècnica: Sem dúvida a Honda em qualquer lugar tem a concessionária. 6) Conforto na Pilotagem e estabilidade: Todas. 7) Atendimento: Comigo ficou a desejar a marca Suzuki, as outras excelentes atendimento. Conclusão: Chegou o grande dia da dicisão, qual moto seria a ideal. Todas excelentes motos, cada qual com seu modelo e estilo, mas optamos pela Honda Transalp XL 700V, apesar do preço. Mas ainda faltava a viagem para realmente ter certeza se foi a compra certa. Não vou negar, fiz um pequeno percurso com a moto, senti que tinha que mudar algo, aonde eu fiz, resolvi substituir a bolha, optando por uma maior, bem como, um prolongador de guidão, peças facil de ser adquirido no mercado. Aproveitei comprei as bolsas laterais, suporte da bolsa, a bolsa do tanque, e quanto o Baú Superior e o suporte, o proprietário da concessionária me presenteou, também, paguei pela moto R$ 33.000.00 a vista em Abril/2011. A moto estava pronta para a viagem, e o dia chegou, em 28Dez11 a moto totalmente em condições de viagem, partimos de Catanduva/SP a Salvador/BA, onde percorremos aproximadamente 5.500 KM, e hoje eu digo com toda certeza e com nenhuma dúvida, comprei a moto certa, pois ela é excelente na pilotagem, conforto, estabilidade (olha que as bolsas estavam pesadas), economia (a velocidade média da viagem foi entre 140 a 150) fazendo a média de 17 km/lt, freio motor excelente na serra, a parceira não sentiu nenhuma dor, somente cansaço como eu devido forte calor do nordete e as péssimas condições da rodovia, inclusive a moto com o jogo de cintura, facilmente desviava dos buracos. Hoje estou convicto que comprei a moto certa, a moto ideal pra longa viagem, talvez o que faltou na época pra dicidir, seria u m depoimento deste, inclusive quando cheguei da viagem, em uma semana foram vendidas várias motos após eu contactar com os duvidosos..KKKK.,,,Todos estão felizes com a aquisição….O video da viagem ja ta no Youtube, é so digitar VIAGEM HONDA TRANSALP e procurar aecio1965….. Hoje eu amo, minha esposa, meus filhos e minha Honda Transalp. A todos os motociclistas um Feliz 2012.

  10. Good,

    Nós sugerimos que você procure uma concessionária da marca o mais breve possível para uma verificação na motocicleta.
    Uma vibração normal de motor (independente da moto) não pode fazer você “sair fora da pista”, se está ocorrendo mudança de trajetória durante a condução sugiro rodar com a motocicleta em baixa velocidade e somente até o concessionário para verificação.

    Obrigado pela participação.

  11. A minha transalp ja fez em viagem 18 km p/lt
    So que estou com um problema de vibraçao na motocicleta chegando a sair fora da pista,se alguem ja presenciou este fato aguardo contato.

  12. meus caros, boa tarde.

    concordo com o trovao… tenho uma transalp e ela so dá 15… acho que não sei andar de moto.

    mas tenho um problema grave com minha moto…. ela estando de 3 ou 4 marcha ela volta marcha quando está em alto giro… se levo a 3º em alto giro ela de repente volta p/2. se levo a 4º marcha em giro alto, ela volta para 3.
    ja levei na minha concessionaria 3 vezes e não descobrem nada…. vou ter que tomas medidas legais drasticas.. caso tenham conhecimento de algum caso parecido com meu, entrem em contato….
    alexandremoraes_moraes@hotmai.com

    no mais a moto é ótima…

    agradeceria bastante..

  13. trovão da br

    olá vitor, olha amigo se pode agradeçer muito mais muito mesmo cara por sua xl 700 fazer 23 rsr, não é que eu ñ acredito acho que deveria detalhar melhor essa autonomia, tipo voce e bem leve, tava sozinho, gasolina comum, pq a minha e a do meu primo ñ passa de 17 andando a 125 a 135 essa faixa e deu igual a media da minha e da dele, unica que deu pau em uma viaje na xl 700 foi a outra minha a 660 a grande e lendaria xt essa sim chegou a fazer 22 andando em media de 120 a 135 e olha q o motor é menor em cavalos, um grande abraço a xl 700 a transalp é show + é gastadeira tenho uma na garage e posso falar sem medo.

  14. Já fiz algumas viagens,a minha ultima Osvaldo Cruz -SP passando pelo interior de Minas Gerais até Cordeiro-RJ.
    Andei no 1ºdia 1236km , me surpreendi com a Transalp.
    ciclistica perfeita ,nas curvas é um show , autonomia otima ( a 110 km faz 23 ), (a 150 faz 18) ao final do dia o corpo estava ótimo .
    .Não comparo com outros modelos (já tive varias), o que importa na verdade é o conforto .
    .Como disse ,já tive outras ,foi só fazer duas correções ,bolha mais alta em 15cm , alongador de guidão 50mm.
    .recomendo a moto é ótima.

  15. Sidney xt 660

    olha vou ser sincero moto é relativo, vai de um para um, mais oque vou falar aqui é oque eu acho, não venho de categoria alta mais sim de baixa, 250, 300 atualmente 660, oh ñ tenho oque reclamar da minha Cavalona xt 600 yamaha, consumo otimo, manutenção oque que isso, isso a moto ñ tem, velocidade de cruzeiro 140 KM/H chega a fazer nessa velocidade 19 com 1 LT de gazosa, nossa perfeita, muitos reclamam de vibração, logico ela é uma MONO com um só canecão trabalhando lá dentro com pura ignorancia, meu primo tem uma TRANSALP muito bonita desgner meio cansado mas em outros aspctos boa, andei nela boa bem diferente da xt 660, mas em viagem aquele motor de 700 Cc em media de 140 a 130 KM/H bebe muito, sem contar na pastilha que acabou rapidamente e o pneu que ficou quadrado com 9.000Km rodado, meu primo grilou e disse que vai pegar uma V-STROM 650,rsr eu quebra cabeça pra ke, já tou é de xt 660 novinha 2012, e ja rodei 5.500 a TENERÉ 660 é o mesmo motor mais perde feio de designer para a TRANSALP 700, viva oque é bom,
    e-mail de orkut
    trovaodabr@gmail.com

  16. A XT66 é uma baita de uma moto, motão mesmo e agora com roupa de teneré é que vai ficar fera mesmo, mas no momento estou bastante satisfeito com minha transalp, é motão também, todas tem seus prós e contras, uma bebe mais, outra vibra mais, uma é mais confortável, outra é mais off, etc. Bem, o melhor de tudo é o brasileiro ter hoje tantas opções de escolha: transalp, xt66, gs650, versys, além das grandonas; todas são boas demais.
    Galera repito minha pergunta fora do contexto: pneu para durar 13-15000km(2-3000 de terra e 12000 de asfalto): mitas e07,e-08, anakee, tourance, sirac, etc??

  17. sim o TROVÃO ta certo em autonomia a honda é realmente beberona mesmo apesar de xl 700 ser BI cilindrica.
    é a xXT660R é foda mesmo e sem contar que é muito mais nova de desagner doke a transalp, essa minha moto vou colocar o nome dela de nova velha transalp, ou melhor eu sou a lenda rsrsr mas é boa não assustem não mas a minha faz 15, abraços.

  18. Trovão da br

    sabe tenho uma xt 660 e a transalp xl 700, olha as duas ñ tem nada haver uma com a outra, mas em altonomia ponto para a xt 20 km/l em media de 130 km/h engarupado (eu e esposa, peso 75 e 53) + o bauleto de 45 litros.
    Transalp xl 700 faz 16 km/l em 130 km/h engarupado(eu e esposa, peso 75 e 53)humn mais outro ponto para a xt 660 ela só tem 48 Cavalo e a minha transalp xl 700,68 Cv, ai que critico poxa honda se não ta nem ai com o bolso dos brasileiros em, olha as duas são novas a xt 660 é 2011/2012 e a outra é só 2011, a meu unico ponto para a transalp vai pelo conforto, mas colocando o banco ERE da xt 660 eu empato o conforto, desculpem me mas transalp é uma cachaceira beberrona cade a injeção eletronica gente, a xt 660 é um cavalo de ignorançia e bebe bem menos.

  19. Tenho uma dúvida para os entendidos, o pneu original BT tá na lona com 8000km, gostaria de botar pneu novo, sair e voltar para Brasília(14000km) com o mesmo pneu, vão ser uns 2000km de terra leve e 12000km de asfalto, me falaram dos Mitas, Sirac, Anakee, Tourance, alguém dá a dica.

  20. E aí galera o que é que vcs acharam da NC700X, será que vão descontinuar a transalp ou ficam as duas no mercado, acho que ela vem para combater a versys, a transalp fica combatendo a gs650, xt66 e v-strom.
    Enquanto isso minha transalp está zerinha com uns 8.500km sem nenhum problema, em fev/12 encaro com a criança um tour pela américa do sur, uns 13-15000km, vou testar a máquina pra valer.

  21. É verdade e mesmo a transalp as manoplas e os punhos de luz deixam muito a desejar , ja estou procurando as manoplas para trocar por uma mais macia.A solução esta em nossas mãos, Alexandre. Falta talvez iniciativa sei la mas quando o mercado (nós) começar a aceitar outras marcas e não só honda tudo vai melhorar , eu ja tinha uma suzuki e agora tenho uma honda tambem , mas vale a diversão .

  22. Concordo com vc Eduardo, mas o Brasil já mostrou ser um forte consumidor dessas motocicletas, as coisas devem melhorar um pouco com uma concorrência mais acirrada entre as montadoras, o consumidor brasileiro está mais exigente e cansado de engolir esse tipo de coisa, queremos qualidade alta e preço justo. As tributações realmente dificultam as coisas, mas eu acho que o descaso das montadoras é o fator principal, o exemplo que dou são os punhos de luz da fireblade, fala sério uma moto de quase 60.000 contos- top de linha com punhos de luz de CG inferiores aos de muitas shinglings do mercado, tenha santa paciência.

  23. Acredito que não seja descaso de todas as montadoras com o mercado brasileiro e sim a enorme carga tributaria e isso acontece com os carros tambem obrigando a mudar acabamentos e são poucos os exemplos de motos e carros que são exatamente iguais aqui e na europa um exemplo disso é o air bag(faz pouco tempo que temos) . Realmente foi um atraso consideravel para o lançamento da Transalp e só nos consumidores perdemos.

  24. As discussões sobre marcas são mais complexas do que um simples bate boca, já tive suzuki(rmx 250 e srad1000), já tive yamaha(rd350, dt180, dt 200 e wr250), já tive ktm, gasgas e honda( hornet e transalp), já rodei em muitas outras marcas, antigamente as motos eram mais rústicas e as diferenças se manifestavam da maneira mais evidente, hoje em dia a qualidade empregada na construção das motocicletas é muito grande: os motores são fortes e resistentes, os acabamentos são de primeira, as máquinas são confortáveis, rápidas e acumulam o melhor possível para aos seus donos todo o prazer que eles buscam. Tenho atualmente uma transalp, uma SRAD1000 e uma gasgas250, posso dizer sem dúvida que todas são motos fantásticas; a honda fabrica motos muito boas, a transalp é um exemplo disso, é moto para atravessar o mundo, as observações feitas nesse site sobre alguns detalhes positivos e negativos são apenas para orientar os colegas que estão pensando em comprar uma bigtrail sobre qual moto escolher; o único “porém” sobre a honda é a falta de respeito para com o consumidor brasileiro, enquanto na europa a transalp está se aposentando com mais de 20 anos de vida e os europeus já vão encarar a super crossrunner, nós aqui estamos vibrando com a transalp(antes tarde do que nunca); os controles de luz da fireblade européia são espetaculares e os da brasileira parecem de CG; a yamaha acreditou no mercado e lançou a Teneré 1200; a suzuki vai relançar a v-strom 1000 reformulada; a kawasaki vem investindo pesado no mercado brasileiro com vários modelos top de linha; e vc honda vivendo só da fama da ASA, é o mercado brasileiro ainda tem muito o que evoluir.

  25. Ola camaradas acabei de comprar a minha transalp, pesquisei muito antes de comprar e as unicas reclamações que vi foi daqueles que só falam mal das marcas famosas por falta de ter o que fazer. Não estou defendendo a honda ou quem quer que seja, porque alem do mais a minha outra moto é uma suzuki a qual só me deu alegrias.Se o mercado só aceita honda a culpa é nossa , nos somos o mercado. Muitas vezes deixamos de comprar uma intruder 125 ou mesmo uma kansas, dar uma equipadinha e curtir os fins de semana pegando uma estrada.Mas não, preferem as cgs (nada contra)para ser apenas mais um.Porque? Porque na hora de vender é mais facil.A minha suzuki é uma 650cc estradeira vou continuar viajando com ela tambem. Bom não sou dono da verdade , isso é apenas o que eu acredito porque mais vale viver a vida e ser feliz.

  26. Estou há 6 meses com a moto e cada vez que subo nela é um prazer. É um cavalão obediente e forte.
    Minhas únicas críticas: achei um pouco dura para passar nos buracos (tive uma DL-1000 muito mais macia, porém um trambolho na cidade). Se ajustar a suspensão para deixá-la mais macia ela fica “boba” nas curvas. E o guidão é muito baixo. Dificulta dirigir em pé e passar por entre os carros no trânsito.
    Mas no geral, estou muito satisfeito.

  27. Suspenção não éra o que eu esperava. éra pra ser mais macia, motor otimo torque e anda muinto bem, banco um pouco duro pro piloto e carona no restante é uma otima moto!!

  28. Endosso tudo que o alexandre disse. Troquei o pneu traseiro com 10.800 km. Ela deveria ser um pouco mais leve. faz média de 16 km/l, ja fiz 20 km/l e também 13, (tentando andar)com uma cbr 1000 e uma hornet. Ela chegou a 192 km/h. É um pouco cara, mas estou satisfeito!

  29. u macete dessas moto potentes mau lero-lero,que as fabricantes lançan pra enganar com a beleza,…eu acho que eh soh tocar a relaçao de transmiçao,pois e um bom discansso para os motores que alem de vibrar muito,bebem igual camelelo!!!na minha xre fiz isso na coroa,e com um dente a menos jah deu diferença nu choro do motor em alto giro…espero que tenho ajudado…ate mais…parabens a moto e bela demas…

  30. a honda quer entrar no mercado de motos de grande porte e tem a intensao de vender 450 motos por mes,só que para isso deveria chegar com uma moto com o preço mais competitivo,uma vez que a comcorrente da yamaha custa 27 mil e a translap nao sai por menos de 32 mil.
    esta mesma moto na europa é vendida ao valor aproximadamente de 20 mil . se ela fosse importada ,daria pra dizer que é o valor dos impostos,porem nao pode se dizer isso,uma vez que ela é fabricada em manaus(am)

  31. Transalp, moto de chumbo!!! Com a reformulação da DL, essa Trombolhalp vai encalhar nas lojas. Só a turma do “Honda é Honda” que vai comprar uma moto cara e beberrona, que no máximo deveria custar 30 paus com o ABS.

  32. Carlos Kowalski

    Comprei uma Transalp ABS zero. A moto realmente é ótima, motor forte, excelente dirigibilidade, etc, mas confesso que realmente achei as suspensões duras, sem falar no carlorzinho nas pernas.

  33. Paulo Rubens

    Comprei a TA ha dois meses, e ate agora estou gostando muito. Sinto a falta de acessorios no mercado. Alguns pontos negativos : A – baixa qualidade das manoplas guidao e comandos . B – O guidao vibra quando solta as maos do guidao C – Calor nas pernas no transito urbano D – alto consumo – Do resto e otima – Sds

  34. A minha já está com 7.500 km, fiz outra viagem, de Brasília para Aruanã-GO, fiz um trecho bem legal de estradas de terra( uns 400 km dos 1000 km rodados), das minhas observações rodando nessa máquina posso reforçar algumas coisas:
    *na faixa das big trail até 800 cc a transalp pode até não empolgar muito mas posso garantir que ela tem torque suficiente para todo tipo de uso, e o fôlego para rodar rápido ela tem de sobra, quanto ao corte de injeção aos 8.000 giros acho que não deve existir mas cá entre nós aos 8000 giros ela entra no vermelho a uma estrondosa velocidade de uns 190km/h, tá bom demais, mais que isso é loucura para uma moto que não foi forjada para tais velocidades, quer voar compra uma jaspion de 1000cc.
    *4 probleminhas me incomodaram durante a viagem: 1o. a luz de farol alto é um farol azul no painel, se não cobrir fica difícil pilotar à noite, 2o. os controles da mão esquerda são grandes demais(acho que a causa foi a inclusão do sistema de advertência), para lampejar farol alto tem quase que tirar a mão da manopla, o botão é muito alto, 3o. o bojo do catalizador é realmente muito baixo e vez por outra bate no chão quando se usa a moto em estrada de terra mais pesada, 4o. na terra é uma maravilha faz uns 20-22km/litro, mas no asfalto com uma velocidade de cruzeiro na faixa de 140-150km/h aí é bom ficar esperto com o tanque de 17,5l, a gulosa só faz uns 15km/litro.
    *o pneu traseiro é realmente uma maravilha, cola no asfalto e permite até curvas radicais, dá segurança para umas raspadinhas de pedaleira, mas é mole demais e se acaba rápido, o meu com 7.500km já está em fim de linha, acho que vou ter que trocar com no máximo uns 9000km, o próximo vou usar um anakee ou sirac.
    *a máquina é um relógio: na cidade é fácil de conduzir; no asfalto é feroz, rápida e estável; na terra, faz bonito se for terra boa ou média, se for terra pesada com areião e pedras faz bonito mas deve-se ter cuidado com o catalizador para não estragá-lo.
    *quanto ao calor nas pernas, percebi que ela gosta de rodar, se ventilar os radiadores ela fica fria, no trânsito pesado da cidade ela esquenta rápido e o ventilador que fica à direita liga com frequência jogando um calorzinho na perna direita, não acho que incomode muito.
    *a carenagem do lado direito, junto ao tanque é meio mau projetada e nunca fica bem alinhada, parece que isso ocorre em todas as transalp que vi, não faz barulho ou solta, só fica meio assimétrico.
    *estou muito satisfeito, mas vou colocar um alongador de guidão, uma bolha mais alta e um conjunto de bauletos ou alforges.

  35. gostaria de uma ajuda de vcs, ou de quem pude me ajudar, tenho uma transalp 700, e estou com um problema, que nem a Honda soube me responder. A transalp, corta giro na faixa de 8 400 rpm, nas 4 primeiras marchas, quando levada ao limite, ela corta sempre, porem, na ultima marcha, ela corta a menos de 8.000 rpm, e na realidade, ela nao corta, ela embola.. com um detalhe, isso acontece apenas em retas, ja na descida, ela ate embola, mas passa dos 8000, e com o detalhe que sempre embola ha 184 km/h no velocimetro. a minha pergunta é, essa moto tem um limitador de velocidade? ou somente de giro? o que provocaria isso? e porque na descida ela passa do limite onde esta embolando.. abracos.

  36. Hilton Carvalho

    Pessoal! Não ví ou ouví ninguém falar nada do calorão do motor??Comprei a minha hoje, andei 200 km e fiquei assustado com o calor que ela joga nas pernas do piloto, principalmente quando no transito urbano.
    Alguém pode comentar?? Se o cara for usar calça de gorgura vai ficar assado…

  37. gilson de a coutinho

    A minha honda transalp e com c abs, esta com 4000km, este final de semana fiz uma viagem de balneario camboriu até itapetininga, e campos do jordão, percorrendo o parque carlos botelho – serra, estrada de cháo com buracos e lodo-, a moto estava com bauletos laterais e bau givi 45 litro, e com carona. Ja tive as motos honda varadero 1000, yamaha tdm 900, v strom 1000, bmw gs 1200 adventure, portanto posso fale em termos de comparativo real. Fiquei surpreso com o desempenho da transalp, principalmente naquel estrada do parque estadual carlos botelho que tinha chovido, e tinham passada patrola na estrada de chao… barro, buracos e muito dificl o trajeto. só quem andou lá sabe o que é…Assim a transalp 700 com c abs, é uma moto muito forte, confortável, estavel, consumo médio 18km, minimo 16km, e máximo 20km/l. Não acredito que existe no mercado nacioanal um motocicleta que proporcione o que a transalp oferece pelo peço de R$ 37000,oo, a minha tem aquecedor de manoplas, bolha alongada-mais 14cm, e bauletos. Recomendo esta moto, e não acredito que a v strom 650 ou a versys fariam o percusso que fiz no parque estadual carlo botelho, nas mesmas condições que eu enfrentei. Daqui a um ano veremos que a transalp será o mesmo sucesso que é a na Europa.

  38. comprei uma transalp 2011 preta sem abs estava com uma cbr 600 2011 totalmente diferente as propostas igual á agua e vinho com destilos diferentes —-para mim o custo e volume de cilindrada eu achei muito boa ..freia muito bem tem a suspenção média macia ou seja´´otima para rodar com alguns limites na curva torque linear não assusta como a xt 660 mas quando olha para o velocimetro está á 170 por hora sem vibração e bem estávél como toda honda é ou seja a moto não impolga na arrancada porém sua media e final surpreendem ..acabamento muito bom como toda honda …moto para rodar 200 mil km sem problemas ////no transito parece uma titã e no asfalto parece uma moto muito maior ….
    prós
    velocidade de cruzeiro e final
    acabamento
    suspenção
    freio
    conforto

    contras
    consumo e autonomia
    arrancada
    falta de ascessórios

    nota de 1 á 10

    8,5

  39. Comprei uma transalp em maio e fiz uma viagem básica de Brasília para Fortaleza, o hodômetro já marca 6.000 km, na viagem rodei por todo tipo de terreno: 4.000 km de asfalto com média de 130-140 km/h, 500 km de estrada de terra horrível(Br 020 entre campos belos e barreiras), uns 100 km de estradas de areia fofa e o resto em cidade. Minhas impressões pessoais:
    1-Motor= forte, torcudo, não vibra nada, tudo acontece entre 4.500 e 6.500 rpm(vermelho só em 8.000rpm), mesmo torque de uma xt660 em baixa sem suas vibrações, boa cavalaria para velocidades maiores(v-strom manda um pouco mais).
    2-Conforto= boa posição de pilotagem, não cansa nada, rodei 1300 km em um único dia sem nenhum desgaste maior, banco macio, braços sem tensão, até na terra a posição sentada é bem suportada, coloquei protetor de motor GIVI com uma pedaleira auxiliar aí ficou mais confortável ainda.
    3-Suspensão= união perfeita entre a maciez que gera conforto e a firmeza que gera estabilidade, na cidade ignora buracos e lombadas, faz curvas muito bem(pneus moles ajudam), na estrada anda colada no asfalto tanto no seco como na chuva, na buraqueira passa direto, na terra anda muito bem(não é uma xt) mas se exigida demais a suspensão acaba dando final de curso em crateras mais fundas. Não esquecendo que a traseira é regulável.
    4-Freios= a minha é sem abs, boa resposta principalmente dos dianteiros que são realmente muito fortes e progressivos, os traseiros poderiam ser melhores.
    5-Versatilidade: boa na cidade(maneabilidade ótima), excelente na estrada, boa na terra(perde por pouco da xt, pelas suspensão de curso maior e maior altura livre do solo), na estrada é melhor que xt e igual a V-strom, na cidade é igual a xt e melhor que V-Strom; sem dúvida achei a mais apta a todo tipo de uso.
    6-Estética= muito bem acabada, bom porte, já me acostumei com o farol de fusca( ilumina muito bem por sinal).
    7-História= desde 1987 sendo aprimorada pelo exigente mercado europeu.
    8-Defeitos que podiam ser melhorados: * o catalizador é um bojo metálico que fica na frente da roda traseira, é baixo e em vários momentos( só na tranqueira) encostou no solo, * um freio traseiro mais forte seria bem vindo, * um tanque de 20 ou 22 litros daria mais autonomia, o dela só tem 17,5 l, * a injeção eletrônica poderia ser um pouco aprimorada para reduzir o consumo que na cidade e estrada a 110 km/h é de 18 km/l e na estrada a 130-140 km/h é de 15 km/l, * os pneus originais se acabam rápido, a minha com 6000km já consumiu 80% da vida dos pneus( lembrando que rodei rápido no esfalto e peguei pisos ruins), * o guidão mais próximo do piloto daria mais conforto, * a honda não colocou acessórias à venda, na internet já tem tudo mas está muito caro, coloquei o protetor de motor da givi e o cavalete central, penso em logo colocar uma bolha mais alta(puig ou givi) e o alongador de guidão.
    OBS: gostei muito da moto, é um produto de alta qualidade e durabilidade(vide site do fórum transalp-Portugal onde comumente essas motos atingem 200.000 sem manutenções maiores) e ainda por cima tem honda em toda esquina desse País.

  40. Comprei uma TRANSALP. Pontos contra: vou trocar o GUINDÃO por um da Falcon e vou colocar um ALONGADOR DE GUIDÃO. Tudo isto por achar o guidão um problemão para esta moto. Os braços ficam longe e a coluna doi muito depois de certo tempo viajando. O restante é 10 mesmo.

  41. Boa:
    1)Fez a média de 20.4 km/hr.
    2)Leve e confiavel em curvas.
    3)Macia e confortavel para passageira.
    4) A minha não é ABS, mas quando precisei me agradou.

    Ruim:
    1) Bolha pequena demais, o vento pega justamente no capacete fazendo com que a cabeça balance demais. (Trocar a bolha por uma maior, aliás todas as marcas tem que ser trocada, pq não vem regulavel.)
    2)Antes tinha uma Shadow, talvez foi a causa de sentir incomodo nas nádegas por falta de costume em pilotar este tipo de moto, vamos aguardar mais algumas viagens.
    3) Acho que o guidão deveria ser um pouco mais próximo ao piloto, o mesmo problema, sentir um pouco de dor nos braços talvez por falta de costume em pilotar este tipo de moto.

    São meras opinões, eu acho que apesar de muitos reclamarem do farol (CG titan), manopla e pneus finos, o que me fez adquirir a moto foi, devido eu viajar muito com minha parceira na região nordeste onde só tem concessionaria honda, e eu particularmente com 46 anos a qual 30 anos de moto, só tive honda e nunca fiquei na mão, porque mudar agora de marca…Ja fiz uma pequena viagem de 700 KM com a moto, atingiu as minhas expectativas, tenho amigos que tem outras marcas, tambem são excelentes motos.
    Como diz meu pai…Qual é a marca da moto…vc responde…novo é zero KM…
    Aos verdadeiros motociclistas entenderam a resposta,,, Novo é novo, não importa a marca, deixa a máquina te conduzir para as beleza deste Brasil, não faça dela uma arma, desfrute-o com amor, não importa a marca, o importante vc se sentir bem em cima dela…
    A todos os motociclistas que amam as curvas e as belezas deste Brasil, na hora de adquirir uma moto, tem que se arrepiar em vê-la na exposição é o que aconteceu quando eu vi a transalp, amor na primeira vista…
    Abraços a todos…

  42. Adquiri uma transalp, excelente moto.

  43. Vou buscar a minha na concessionária na quinta, esperando emplacar. Para mim representa o melhor-custo benefício, a intenção é viajar e usar esporadicamente na cidade.

  44. Celso Magalhaes Junior

    Comprei uma Transalp 2011/2011 – Logo peguei estrada +- 1300 km, fiquei imprecionado com a potencia e leveza de tocar a moto. Nao houve contratempos com ela ,achei ela otima pra estrada. Obs: So falta as lojas terem acessorios para equipa-la

  45. Recebi um telefonema da Honda dizendo que minha Transalp com ABS esta na loja estou esperando a 27 dias não vejo a hora de pular em cima daquele cavalo negro a moto é show mando noticias quando testar.
    abraços

  46. Vendi minha xt660r para comprar a transalp,porém fui orientado para dar uma olhada na kawasaki versys antes de fechar negocio. E realmente a versys ganha em tudo,acabamento, beleza,esportividade e etc,o acabamento da transalp é muito fraco, botão de ingnição é igual da CG.um absurdo para uma moto de 37lascas.

  47. Achei feinha e em relação a Vstrom acho a Suzuki mais moto em tudo, exceto no nr. de concessionárias, mas que não justifica o elevado preço da Transalp. Essa deveria custar o mesmo que uma Shadow 750cc. Algo e torno de R$ 30.000,00. Mais que isso, vou de Vstrom!!

  48. marco antonio

    olá

    gostaria de um comentário real sobre o calor do motor nas pernas, pois fui ver uma na CONSTAR da Rua Pamplona em SP e o dono Chegou xingando… depois de 15 minutos coloquei a mão no protetor do escapamento do garupa e estava bastante quente.
    Será que ela não serve para uso urbamo?
    Como fica as gatinhas de shortinho!!?

    Por favor digam a verdade.

    abraço

  49. Também achei que as suspensões poderiam ser mais macias, mas tem duas coisas que são divergentes, suspa macia é confortável mas peca nas curvas, suspa dura é boa de curvas mas peca no conforto; mandei regular a tensão da mola(pré-carga) e coloquei a compressão no mais macio possível, melhorou um pouco, mas parece que o tempo de reação da suspensão é que faz a diferença, a minha parece que absorve bem os buracos em alta velocidade e é mais dura em velocidades mais baixas.
    Também achei que a autonomia ficou prejudicada pelo tanque pequeno. Já me acostumei com o visual farol de fusca, hoje já acho até bonitona.
    No trânsito esquenta rápido se não correr vento nos radiadores, o ventilador resolve mas joga calor na perna esquerda do piloto.
    Puros detalhes que não comprometem o conjunto, a moto é forte, torcuda, escalonamento de marchas ótimo, bem acabada, estável, dá muita confiança ao piloto em curvas e retomadas; estou gostando muito e também acho que fiz uma boa compra.
    A Honda é foda com o Brasil, devia ter lançado essa moto a muito tempo, mas fazer o que, lançou agora e a moto é boa mesmo e a gente vai ter que aceitar esse fato, o bom mesmo é o mercado estar fornecendo várias opções e existir concorrência no mercado, só temos a ganhar com isso.

  50. Eu comprei uma Transalp, já fiz uma pequena viagem de 300 km, achei a moto muito confortavel, mais mesmo assim achei a suspensão meio dura, vou regular a suspensão para ficar mais macia, o consumo normal para para esse padrão de moto, aprox 18 km/L.
    Mais é uma maravilha de moto muita força e estabilidade, uma ciclística sem comparação, nunca vi uma moto tão versatil e de fácil pilotagem, pode entrar na curvas do jeito que quiser que ela faz.
    Um motão valeu cada centavo dos 37000 que paguei.

  51. Comprei uma e achei a moto boa, os principais defeitos para mim são: O desenho não me agradou muito,tanque pequeno, suspensões super duras, mesmo tendo soltado a tensão da mola e regulado para o mais macio possivel a regulagem externa e é pesadinha. Tirando isso a moto é otima.

  52. Tive dúvida sobre qual moto comprar, meu interesse é fazer uma viagem para Ushuaia pela ruta 3 e subir pela carretera austral até Bariloche e de lá voltar para o Brasil; as opções para meu bolso eram: V-strom, XT660, GS650, Versys e a Transalp; a briga é feia já que pode-se dizer sem nenhuma dúvida que todas essas motocas são fabricadas com enorme controle de qualidade, sendo todas elas espetaculares do ponto de vista construtivo( com certeza qualquer uma delas está plenamente apta a gerar enorme prazer ao comprador), dessa forma a escolha fica por conta de pequenos detalhes que podem gerar grande diferença:
    1-V-strom 650 = ótimo motor, confortável, tanque grande, carenagem linda, moto espetacular, o que pesou contra = muito grande dificultando a mobilidade no trânsito pesado, curso de suspensões menor, pneus lisos, altura mínima do solo menor, rede de concessionárias menor. Compraria a moto se eu só fosse usá-la para viagens em estradas asfaltadas ou de terra sem muitos buracos.

    2-XT660 = Torcuda, alta, versátil, boa na cidade, boa na estrada, campeã na terra e buracos; pesou contra == vibração do cilindrão único incomoda depois de 5-10 horas de montada, pouco confortável( banco erê é obrigatório), come relação mais rápido. Compraria a moto se fosse usar com frequência em buraqueira e terra.

    3- Versys= Leve, rápida, boa ciclística; pesou contra == raras concessionárias(quebrou em viagem já era), é uma street disfarçada de trail, pneus lisos, não apta para encarar tranqueiras.

    4-GS650= parece ser uma boa moto, parece XT66, pouco contato, não posso opinar.

    5-Transalp= DESDE DE 1987 NA EUROPA, EVOLUÇÃO DE 23 ANOS EM UM MERCADO EXIGENTE, CONCESSIONÁRIAS EM TODO LUGAR DO BRASIL, BOAS SUSPENSÕES, CURVA BEM, MOTOR COM ÓTIMO TORQUE DE 3000 A 6500 GIROS, MARCHAS EQUILIBRADAS( 1a. LONGA E 5a. BEM ESTENDIDA, A 6a. NÃO FAZ FALTA), BAIXO RUÍDO E VIBRAÇÕES, POSIÇÃO DE PILOTAGEM MUITO CONFORTÁVEL EM VIAGENS E NO DIA-A-DIA, BONS FREIOS(A MINHA É SEM ABS)FÁCEIS DE DOSAR, MANEABILIDADE ÓTIMA NA CIDADE( PARECE UMA XRE NO TRÂNSITO), BOA VELOCIDADE DE CRUZEIRO( 100-130 COM GIROS ENTRE 4500 E 6000, BEM LONGE DOS 8000 DO VERMELHO) COM AMPLA RESERVA PARA UMA ULTRAPASSAGEM MAIS RÁPIDA, TORCUDA( REDUZIU E GIROU A MÃO ELA VAI FORTE), PNEUS BONS DE CURVA E COM UMA CAPACIDADE DE OFF IGUAL AOS DA XT.
    PECADOS== TANQUE PEQUENO(17,5L), FAROL E ESPELHOS DE GOSTO DUVIDOSO, CHEGA RÁPIDO AOS 101oC NO TRÂNSITO PESADO(NADA QUE O VENTILADOR NÃO RESOLVA), ACABAMENTO DO GUIDÃO E INSTRUMENTOS MUITO SIMPLES, FALTA DE UM PROTETOR(SANFONA) NAS BENGALAS( A TENDÊNCIA É QUE O TUBO VÁ RISCANDO COM O IMPACTO DE PEDRINHAS NA ESTRADA, EM RESUMO OS PECADOS SÃO POUCOS E DE IMPORTÂNCIA INSIGNIFICANTE PARA UMA MOTO QUE FOI CRIADA PARA TODO TERRENO.
    RESUMO= TRANSALP É SINÔNIMO DE: VERSATILIDADE, CONFORTO, EVOLUÇÃO LONGA, RESISTÊNCIA, CIDADE, ESTRADA, TERRA, BURACOS, ASSISTÊNCIA FÁCIL.

    COMPREI UMA E JÁ RODEI 3000KM E POSSO AFIRMAR É SHOW DE BOLA, UMA MÁQUINA PARA TUDO, BOA NA CIDADE, BOA NA ESTRADA, É COISA DE PRIMEIRA.
    Repito, dei minha opinião pessoal, mas também não tenho nenhuma dúvida que todas as motos citadas acima são ótimas e seus compradores terão muita satisfação com suas máquinas; mas muitos estão pensando como eu basta entrar no site da abraciclo e ver o volume de vendas em Abril.

  53. Quando a vi foi amor a primeira vista… Já encomendei a minha(com ABS).

  54. To pensando en trocar minha xt 660 por uma transalp. Ja to até olhando os acessorios , protetor de motor e suporte de bau pra ela ja achei só falta a bolha alta que não achei ainda.

  55. LINDA E INQUEBRÁVEL!!!
    QUEM FALA MAL DA TRANS ALP NÃO CONHECE MOTO!!!!!

  56. Estou a 10 anos esperando esta maravilha,e quem tiver a coragem de achar esta beleza feia e manca não conhece moto.

  57. Manca! Fraca! Feia!

  58. A Ténéré 660 é muito mais bonita e interessante!

    se sair por algo em torno de R$ 30 mil, vai vender muitoooo, e deixar a transalp a ver navios!

    afinal de contas, por R$ 34 mil, a suzuki vstrom é imbatível.
    Muito mais moderna, muito mais bonita, muito mais estradeira.

  59. ola sou vendedor de uma consecionaria aqui em vitoria do ES a moto e show e vou vender muitas dela abraçoss

  60. ouviram algo a respeito dos acessorios?? eles vao trazer as malas laterais??….por ex.

  61. Oi Neumar
    eu sou Uruguaio e tenho uma 2010, preta, igual a da ultima foto! quero comprar as malas laterais, mas sabe qto esta a orginal honda aqui no URU?? US$ 2400,00…….uma paulada !!
    no resto…a moto e show!
    abraço a todos!

    ps: a minha e com ABS

  62. * Equipe MOTONAUTA

    ola … essa “marmita”, e é o apelido mesmo, faz parte do conjunto de exaustão !

    obrigado pela participação

  63. duvida – que peça dourada é aquela na frente do pneu traseiro, abaixo da balança parece um tanque??

  64. Show! Não vejo a hora de estar nas lojas pra dar uma olhada nela ao vivo! Já até imagino ela com malas laterais, um para-brisas grande…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *