BIGtheme.net http://bigtheme.net/ecommerce/opencart OpenCart Templates
Home / Noticia / Moto 1000 GP fomenta união de pilotos e equipes com subsídio na inscrição anual

Moto 1000 GP fomenta união de pilotos e equipes com subsídio na inscrição anual

A lista de subsídios viabilizados pelo Moto 1000 GP aos pilotos que vão disputar a segunda temporada da competição tem na taxa de inscrição um dos principais atrativos. A organização do campeonato, que terá início no dia 17 de junho com uma rodada dupla no autódromo paulista de Interlagos, definiu um sistema de desconto gradativo aos pilotos que vão participar de todas as oito etapas que já vem resultando na organização dos competidores em grupos.

O Moto 1000 GP definiu a taxa anual de inscrição em R$ 3.000, valor que assegura a participação do piloto nas oito etapas, tanto na GP1000 quanto na GP Light. Para equipes que inscreverem dois pilotos, o valor por participante será de R$ 2.000. O desconto é regressivo e estipula valor de R$ 1.700 para inscrição de três pilotos, R$ 1.400 para quatro, R$ 1.200 para cinco, R$ 1.000 para seis, R$ 800 para sete e, por fim, R$ 600 para oito inscritos.

O sistema vem tendo boa aceitação por parte dos participantes, segundo manifesta o diretor do Moto 1000 GP, Gilson Scudeler. “Esse é um formato que não só proporciona uma vantagem a mais ao piloto, mas que também favorece o espírito de grupo do campeonato”, diz. “Há pilotos que estão se organizando em equipes, mesmo tendo preparadores diferentes, para aproveitar o desconto na inscrição anual. Todos estão satisfeitos com o sistema”.

A gasolina Podium e o óleo lubrificante Lubrax Tecnomoto utilizados por todos os participantes serão fornecidos gratuitamente pelo Moto 1000 GP – a Petrobras e a Lubrax são patrocinadoras máster do campeonato. A Michelin, também patrocinadora, assegura aos pilotos subsídio na aquisição dos pneus. A parceria com a BMW Motorrad também garante valores subsidiados para a aquisição de motos BMW S1000RR Full para competição.

“Nosso foco é o de valorizar a imagem dos pilotos e das equipes, dando a eles todas as vantagens que conseguirmos viabilizar para que todos tenham a melhor condição possível para competir”, pondera Scudeler. “Os pilotos não vêm ao Moto 1000 GP só para participar, para disputar as corridas. Eles fazem parte do evento, participam das decisões, dão sugestões, recebem subsídios e condições para fazerem parte de tudo que for possível”, continua.

Calendário

A temporada do Moto 1000 GP terá oito etapas: 17 de junho – Interlagos (SP), rodada dupla; 22 de julho – Brasília (DF); 19 de agosto – Curitiba (PR); 23 de setembro – Santa Cruz do Sul (RS); 21 de outubro – Cascavel (PR); 2 de dezembro – Jacarepaguá (RJ), rodada dupla. A competição tem patrocínio de Petrobras e Lubrax, além de BMW Motorrad e Michelin, e apoio de Beta, Shoei, Servitec, Tutto Moto, Bell e W2 Boots.

***

Grelak Comunicação

Sobre * Equipe MOTONAUTA

Além disso, verifique

Kawasaki lança Vulcan S com novas versões para 2018

A Vulcan S chega ao mercado brasileiro em novas versões 2018 com novidades que tornam ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *