BIGtheme.net http://bigtheme.net/ecommerce/opencart OpenCart Templates
Home / Noticia / Pilotos vão para o tudo ou nada na Super Final do Pro Tork Brasileiro de MX

Pilotos vão para o tudo ou nada na Super Final do Pro Tork Brasileiro de MX

A Super Final do Pro Tork Brasileiro de Motocross se aproxima e os pilotos vão para o tudo ou nada na luta pelos títulos nacionais. As taças das categorias MX2, MX3, MX4 e 230cc estarão em jogo neste final de semana (dias 5 e 6 de novembro) na pista de Siqueira Campos, no Paraná, com entrada franca ao público. Os únicos competidores que podem respirar aliviados são Antônio Jorge Balbi Júnior (MX1), Gustavo Henn (85cc) e Enzo Lopes (65cc), campeões com uma rodada de antecipação.

Na MX2, três pilotos estão embolados na classificação: o paulista Dudu Lima é o atual líder (119 pontos), seguido pelo inglês Adam Chatfield (113) e por Jean Ramos (111), do Paraná – sem considerar o descarte do pior resultado da temporada. “Estou trabalhando para fazer o melhor na pista. Espero que o título seja consequência”, disse Dudu Lima. Jean Ramos quer contar com o apoio dos paranaenses. “Espero ter o apoio do público, pois acredito no trabalho que fiz durante todo o ano e tenho crescido no decorrer do campeonato. Vou para Siqueira Campos bastante focado e em busca de uma boa largada para sair campeão”, afirmou.

A MX3 terá o duelo de Duda Parise e Marcos Cordeiro, que estão separados apenas por um ponto na tabela (total de 135 e 134 pontos, respectivamente). Já na 230cc, os grandes candidatos são Marcos Moraes (133) e Fabiano dos Santos (111).

No sacrifício – Enquanto muitos pilotos terão de vencer seus oponentes para garantir o melhor lugar na classificação, Milton Becker, o Chumbinho, busca ganhar de si mesmo para levar a taça da MX4. Na sexta etapa, realizada no último final de semana em Nova Alvorada do Sul (MS), ele não completou a prova após quebrar o dedo anular na mão direita.

“Vou correr no sacrifício e tentar fazer o meu melhor. Estou com dor, mas vamos em frente”, explicou o recordista em títulos nacionais, com 15 taças em diversas categorias. “Quebrar o dedo é uma das fatalidades que podem acontecer no esporte. Já perdi e ganhei campeonato por causa de um ponto, são coisas do motocross”, concluiu Chumbinho. O catarinense tem 128 pontos na tabela, contra 114 de Júlio Cézar Xavier.

O Pro Tork Brasileiro de Motocross tem patrocínio de Pro Tork e Rinaldi. A Super Final tem apoio de Alternativa FM, Visão Net, Limão Vodka, Cana Verde FM, Vale do Sol FM, Educadora, Bom Jesus AM, CN, Rádio Santana, Fast Guia, Tá No Site, Jornal Paraná, Site NP Diário, Site Fervendo na Balada, NP Ligado e Interativa, além de realização da Federação Paranaense de Motociclismo e supervisão da Confederação Brasileira de Motociclismo.

?

fonte: Imprensa – Brasileiro de MX / Ângela Monteiro – Mundo Press. Foto: Maurício Arruda/Divulgação

Sobre * Equipe MOTONAUTA

Além disso, verifique

Kawasaki lança Vulcan S com novas versões para 2018

A Vulcan S chega ao mercado brasileiro em novas versões 2018 com novidades que tornam ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *