BIGtheme.net http://bigtheme.net/ecommerce/opencart OpenCart Templates
Home / Avaliações / Traxx Dunna 600 … primeiras impressões

Traxx Dunna 600 … primeiras impressões


Salão Duas Rodas 2011 … após algumas negociações, conseguimos em primeira mão, avaliar o produto pré-série na área de test-drive e pelos corredores adjacentes ao interior do Sambódromo.

Tentem imaginar qual não foi o trabalho em retirar a moto da área de exposição, ativá-la, acompanhar nossa degustação, e devolve-la ao stand antes de abrirem os portões ao público.

Por isso, agradecemos sobremaneira o empenho da equipe da Traxx, naquele momento representada pelo Sr. Samuel, que deixou tanto eu quanto o Hilwaldo confortáveis a pilotagem, mas não conseguiu eliminar a nossa responsabilidade em não termos uma possível queda, que fatalmente iria estragar o show dos dias seguintes.

Num primeiro momento, fica difícil deixar de associar o design às antigas BMW 650, ainda mais pelo elemento da roda traseira e os detalhes dos botões de punho. Os faróis e a lanterna traseira já demonstram visualmente sua origem.

A Traxx tem seu pé chinês na Jialing, na verdade Honda-Jialing que forneceu a tecnologia para este seu motor de 600 cc. Dando partida neste, surge um ronco forte e uma vibração que chegou a nos chamar atenção, mas o Sr. Samuel ainda reforçou o comportamento, e nós comprovamos que rodando essa vibração tende a diminuir consideravelmente.

Com uma entrega de potência linear sentimos o crescimento da velocidade de forma macia, e quando exigido o acelerador, tivemos a impressão que a mesma tem uma relação um pouco mais “on” que “off”.

A ciclística coloca a dirigibilidade da moto de forma fácil e leve, atribuindo ai um peso menor que a sua dimensão. Ela promete ser de fácil condução no transito mais pesado.

A suspensão é macia e progressiva transmitindo, evidentemente dentro da limitação do trajeto que tivemos, um bom conforto, aliado ai um banco largo e também macio.

O acabamento geral é bom, com as partes plásticas com bom encaixe, e não chegamos a observar variações na pintura. Vale ressaltar que estamos falando de um modelo pré serie.

O painel de instrumento é grande, de fácil leitura, acompanhado de várias luzes espias que informam o funcionamento desde a injeção até os piscas.

Rodas raiadas com aros de aço cromados, freios a disco nas duas rodas e pneus de uso misto completam o conjunto, determinando ai à preocupação em atender as necessidades do público alvo.

Pelas poucas informações mercadológicas, nos foi informado que ela virá de série com protetor de motor, protetor de cárter, cavalete central, cavalete lateral, tomada de força no painel, bagageiro; e possíveis bolsas laterais. O preço a ser alcançado como sugestão ficará na ordem dos R$ 20.000,00.

Vamos aguardar o lançamento comercial, esperado para o fim de Dezembro, e a futura possibilidade de avaliarmos um produto normal série.

Sobre * Equipe MOTONAUTA

Além disso, verifique

Kawasaki Versys 1000 é diversão garantida

Há uma coisa estranha acontecendo na categoria de moto aventura. Toda a categoria foi criada ...

15 comentários

  1. Francisco Pineda

    Eu tenho uma Traxx Dunna 600 e uma Traxx Work 125, também uma Suzuki GS 500. Peguei usada com 9 mil km e já rodei mais 9 mil km, estando agora com 18 mil km. É bem confortável, estável, anda muito bem, na estrada faz 22 km/litro. Como querem saber os defeitos, ela vibra a pedaleira traseira para passageiro na velocidade de 12 km/h, sendo um incômodo. O painel de controle é difícil de se zerar o odômetro parcial. As luzes espia do painel não aparecem bem durante o dia, somente são visíveis à noite. Ela não é como toda moto chinesa, possui qualidade, pois já tive 4 motos da marca e rodei muito, ralei prá caramba e nunca quebraram e nem fiquei na mão. Na Dunna não quebrou nada até agora. As peças possuem preço mais alto, como todas as motos de média e grande cilindrada. Muitas delas não vai ter em concessionária, igual as motos médias e de grande cilindradas de qualquer marca. Tem que encomendar das duas fábricas instaladas no Pernambuco. Eu tive uma Honda Sahara 350 e em 2010 cheguei a pagar R$ 140,00 num filtro de ar original Honda, que tive que encomendar, esperar e ir buscar muito longe, simplesmente por que ninguém tinha e tive que pagar o queriam. Minha GS 500 quebrou o manete de freio e no ano de 2014 custava R$ 200,00, tendo de encomendar, esperar e pagar o que querem. As peças da Dunna são iguais ou bem mais baratas que algumas importadas de marcas renomadas. Índice de roubo zero, nunca coloquei cadeado ou trava onde quer que eu deixo. Não me arrependi, pois é uma excelente moto.

  2. Comprei uma por telefone. É como toda moto chinesa. Qualidades e defeitos. Suportou viagem longa como outras. Superou a 400 da honda, e chegou a acompanhar a BMW.

  3. Vou agurdar um bom teste de uns 5 mil km antes de pensar nessa Dunna 600. Por enquanto fico aguardando a Bross 150 e juntando grana para a tenere 250.

  4. Leiam….depois de andarem, comprarem..relatem…

  5. Com o histórico da má qualidade das peças das motos chineses que foram vendidas no Brasil, serão bem poucos os “aventureiros” que irão comprar essa moto. Mesmo que seja muito barata na linha das 600 cilindradas, o risco não vale o investimento.

  6. Triste… dá muita vontade de chorar… eu acho q se ganhasse de presente tacaria fogo…

  7. conheço várias pessoas que tem moto traxx e eles falam que só compraram a moto por causa do valor que é mais em conta. porém o produto é muito inferior, as soldas quebram com muita facilidade.sem falar que, o valor de revenda não existe. resumo( moto traxx é um casamento de verdade) melhor a fazer é esperar um pouco mais e adquirir uma honda ou yamaha do mesmo segmento.

  8. gustavo santo

    manda essa desgraça pra onde vei isso nao presta. ja passei raiva com esse lixo………………………..bosta

  9. Olha, segue minha humilde sugestão a Traxx:

    1. melhorar o conjunto de luzes traseira e para-lamas – que não combinam com o restante da moto (parece uma scooter)
    2. fazer uma boa aclimatação do motor, que tem que chegar mais próximo ao desempenho da XT660 (está 27% a menos, onde o deslocamento é apenas 10% menor). Uns 42-43 cv estariam ok.
    3. Preço tem que ser realmente competitivo, por 20 mil acho que a grande maioria das pessoas vão economizar mais e investir numa XT660. Acho que bem no meio do caminho entre as 300 e a XT660 é o ideal (R$18.500). Do contrário vende pouco, não se encontram peças e desvaloriza muito.

  10. Ozzy Renato

    Eu não compro.

  11. Fernando Santos

    R$ 20.000,00 é muito.

  12. Sergio Cordeiro Junior

    Por esse valor???

    Considerando que a GT 650 com 89 cv virá, em tese, pelo mesmo preço.

    Considerando que, salvo engano, essa Dunna possui cerca de 35 cv, pouca coisa mais que uma XLX 350 e cerca de 10 cv a mais que uma Landar ou XRE 300 que custam praticamente a metade.

    Considerando que uma BMW G650 custa ‘apenas’ R$ 10.000,00 a mais e é infinitamente mais moto.

    Quais as chances disso vender?

    E não é preconceito com a marca, pois temos uma Jialing 125 1995 na família que é excelente, mas acho muito dinheiro pelo que parece oferecer.

  13. Fabricia almeida

    Tomara que sim pq so nesta peqna avaliação ela foi bem,mas ainda tem a mnetalidade dos brasileiros que as motos so presta se tiver o nome da marca da asa.

  14. yuri calmon

    Será ela a eleita a ocupar o lugar da Falcon NX400 ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *