BIGtheme.net http://bigtheme.net/ecommerce/opencart OpenCart Templates
Home / Avaliações / Yamaha XTZ 250 Ténéré … avaliamos!

Yamaha XTZ 250 Ténéré … avaliamos!

Mais de uma década fora de nosso mercado, a família Ténéré ressurge no Brasil com um produto desenvolvido especialmente para o nosso país.

A Tenéré 250 é uma moto concebida para o uso diário, em viagens ou lazer. Seu design foi inspirado nas suas duas “irmãs” maiores, a Ténéré 660 e a Super Ténéré 1200 que a deixou bonita, volumosa e chama muita a atenção por onde passa.

Vista de frente já se destaca o farol duplo de 55 watts com lente de policarbonato que tem uma ótima iluminação em alcance e na dispersão do facho de luz. A bolha, mesmo aparentando ser pequena, desvia boa parte do vento na estrada, sendo sua eficácia mais perceptível acima dos 100 km/h.

Olhando de perfil, já nos deparamos com seu grande tanque de gasolina com capacidade para 16 litros (4,8 litros de reserva) suficiente para uma autonomia teórica de 352 km de acordo com o consumo de 22 km/l obtido em nosso trajeto padrão (clique aqui e conheça). Essa marca tende a melhorar após o amaciamento do motor (a unidade testada era zero km).

O banco de dois níveis passa a impressão de ser um pouco duro no primeiro contato, porém em uma viagem de 2:30 horas sem paradas ele se mostrou bem confortável, auxiliado pela posição ereta por conta do guidão recuado (em relação a Lander) e pedaleiras um pouco adiantadas em relação ao tronco.

A traseira ficou parecida com a existente na Lander e merecia um visual mais moderno e inspirado, em minha opinião. Outro detalhe é o bagageiro que é nada mais que uma extensão em plástico para apoiar a mochila que é levada nas costas da garupa; a Yamaha vai oferecer um bagageiro “de verdade” como opcional.

O painel acompanhou a evolução vista na Fazer 250 (e FZ6, XJ6 todas utilizando o mesmo desenho), bonito, funcional e completo. Na unidade testada, a reserva acendia após o consumo de 11 litros, 5 litros de reserva é pouco menos de 1/3 do tanque, um tanto exagerado.

Projetada sobre a plataforma da robusta Lander 250, herdou boa parte da mecânica. O motor tem potência de 21 cv a 7.500 rpm e torque máximo  de 2,10 kgf.m a 6.500 rpm. Sua relação de câmbio foi alongada buscando um maior conforto e economia no tráfego em estradas, porém essa alteração prejudicou um pouco a aceleração e retomada.

Sua suspensão também foi calibrada para um uso rodoviário (mais firme), a dianteira tem curso de 220 mm sem regulagens, enquanto a traseira monoamortecida tem 200 mm de curso com regulagem por rosca ganhando infinitos ajustes.

Os freios a disco equipam ambas as rodas, o dianteiro com 245 mm de diâmetro e pinça de dois pistões e na traseira com 203 mm de diâmetro freiam com segurança e tem boa potência. O dianteiro mostrou o acionamento um pouco borrachudo, talvez por que o modelo testado era zero km e carecia de um melhor assentamento das pastilhas.

As rodas com aros em aço 80/90-21 na dianteira, e traseira 120/80-18, utilizam pneus Pirelli Scorpion, com aplicação mais on-road que off-road, o que se traduziu em menor nível de ruído quando utilizado em estradas.

Rodando com a Ténéré

Viajamos por todos os tipos de estradas e situações com a Ténéré. Em resumo se mostrou polivalente como anunciado pela Yamaha.

O trânsito da cidade foi brincadeira para a Ténéré, sendo possível simplesmente ignorar os buracos e lombadas. O guidão alto passa por cima dos retrovisores dos automóveis e o conjunto óptico imponente abre caminho nos corredores. Nesse ambiente, o motor de 21 cv é mais que suficiente para uma condução rápida. Outro destaque foi para o cambio com engates macios e precisos, o que contribuiu para a boa avaliação neste ambiente.

Nos trechos de serra foi possível ver os benefícios de ter o conjunto óptico e painel fixos. Com este peso fora da suspensão dianteira a mudança de direção ficou mais rápida mesmo utilizando pneu de 21 polegadas na dianteira. A capacidade de inclinação da Ténéré ajudada pelos pneus quase on-road impressiona, fazendo com que as pedaleiras passem bem perto do chão e também nos fazendo segurar o ímpeto e parar de abusar das curvas.

O desempenho nas estradas de terra não deixou a desejar e foi só um pouco inferior ao da Lander. Mesmo percorrendo trechos ruins cheios de erosões e subidas que mais pareciam paredões, não acusaram fim de curso ou retorno indesejado da suspensão em nenhuma parte do trajeto.

Nas estradas secundárias o mesmo bom desempenho da serra foi mantido, não apresentando oscilações, e foi possível manter uma velocidade de cruzeiro agradável e lógico, dentro dos limites.

Auto-estradas com velocidade máxima de 120 km/h foram percorridas com segurança, somente nas grandes ladeiras era preciso usar todo o curso do acelerador para manter a velocidade máxima da via (vale lembrar que neste momento Ténéré estava com menos de 700 km rodados portanto em pleno amaciamento). A posição natural de pilotagem somada a bolha desviando parte do vento e seu banco confortável, nos permitiu rodar 250 km sem paradas e sem cansaço.

Nesse longo trecho, a Ténéré rodou o tempo todo próximo ao limite de rotação, a vibração do motor passou para o guidão e as mãos chegaram ao destino dormentes; já as pedaleiras filtraram bem esta vibração. Esperamos que após o amaciamento esse efeito diminua e traga mais conforto ao piloto.

A Ténéré foi utilizada para a cobertura da prova do Iron Man realizada em Pirassununga/SP. Nele foi possível avaliar o quanto este lançamento era esperado, pois logo após a nossa chegada uma roda se formou em volta da moto e todas as perguntas possíveis e imagináveis foram feitas. Um verdadeiro sucesso.

Agora vamos aguardar a Yamaha trazer toda a família Ténéré, afinal um país de dimensões continentais como o Brasil merece a família completa.

especificações técnicas

Comprimento total 2.120 mm
Largura total 830 mm
Altura total 1.370 mm
Altura do assento 865 mm
Distância entre eixos 1.385 mm
Altura mínima do solo 270 mm
Peso seco 137 kg
Peso (ordem de macha) 155 kg
Motor 4 tempos, SOHC, refrigerado a ar com radiador a óleo, 2 válvulas
Cilindrada usual 250 cc
Diâmetro x curso 74.0 x 58,0 mm
Taxa de compressão 9.80 : 1
Potência máxima 21 cv a 8.000 RPM
Torque máximo 2,10 kgf.m a 6.500 RPM
Sistema de partida Elétrica
Sistema de lubrificação Cárter úmido, com radiador de óleo
Capacidade do óleo de motor 1,50 litros (contando filtro de óleo)
Capacidade do tanque de combustível 16 litros (reserva 4,8 litros)
Alimentação Injeção Eletrônica
Sistema de ignição TCI
Bateria GS Yuasa, 12V 6 Ah, selada
Embreagem multidisco banhado a óleo
Câmbio 5 velocidades, engrenamento constante
Quadro Semi Berço duplo em aço
Pneu dianteiro 80/90-21 MT90 A/T 48S – PIRELLI/SCORPION
Pneu traseiro 120/80-18 MT90 A/T 62S – PIRELLI/SCORPION
Freio dianteiro Disco de 245 mm de diâmetro
Freio traseiro Disco de 203 mm de diâmetro
Suspensão dianteira Garfo telescópico
Suspensão traseira Monoamortecida com link
Curso da suspensão dianteira 220 mm
Curso da suspensão traseira 200 mm
Lâmpada do farol 2 X 12V 55/55 W (halógena)
Lâmpada da lanterna traseira 12 V 5/21 W
Lâmpada do pisca 12V 10W x 4
Painel de instrumentos Cristal liquido multifuncional – hodômetro total e dois parciais (trip1 e trip2), mais hodômetro do combustível (f-trip), marcador do nível de combustível digital e relógio. Luzes espias. Velocímetro e tacômetro eletrônico análogo.
Cores Branca ou preta

Sobre Claudinei Cordiolli

Analista de Negócios formado pela Unibero, empresário no ramo de ERP´s para o setor Imobiliário. Participação em diversas provas de Enduro no final da década de 1990 e início dos anos 2000 mudou para a pilotagem esportiva onde continua pilotando (mas não competindo) até hoje. Apaixonado por Fotografia fez trabalhos para diversos sites e para o Jornal Diário de São Paulo. Hoje faz fotografia esportiva para a Taça São Paulo de Supermoto e trabalhos de freelancer. Atual colunista do site Motonauta para a seção de Avaliações e alguns editoriais sempre apresentando ao público sua opinião sem ter o "rabo preso" com nenhum fabricante ou marca.

Além disso, verifique

Triumph Rocket III… bestialidade para enrugar o asfalto

Após uma semana de pilotagem com a Triumph Rocket III foi muito triste devolve-la. Qualquer ...

44 comentários

  1. ricardo lima

    Ola galera blz, gostaria de saber de alguem que ja pilotou a moto, se ela realmente é muito confortavel? obrigado pela atenção…

  2. wesley pereira

    Engraçado que a primeira vez que eu vi a teneré 250, eu praticamente odiei a yamaha, pois na epoca eu trabalhava em uma concessionaria yamaha, achando que viria um modelo mais bonito com um motor 300cc para competir com a xre, porém assim que ela chegou na loja, eu instintivamente montei na moto para ver como éra
    o conforto… dai em diante observei ela com outros olhos, parace moto grande ( acima de 500cc) quando voçê monta, e o modo de pilotar ficou ótimo.

  3. Olá!
    O inevitável aconteceu: troquei a Té250 por uma Té660. Quando tiver testado, postarei meu parecer.

  4. Olá!
    Um ano com a Té250. Só alegrias. Uso ela todos os dias e ainda nos finais de semana, moto-giros. Troca de pneu traseiro+pastilhas de freio traseiro: 16.000km; pneu dianteiro: 18.000km. No mais óleo e filtro. É abastecer e acelerar. Pra quem quer uma moto versátil, recomendo.

  5. Dei muita sorte!
    Tinha uma Lander 2008 com 65000 Km rodados e vendi pra comprar outra nova.
    Foi quando os governos de São Paulo, Rio e Minas compraram todo o estoque e a produção da Yamaha por meses.
    Fiquei Desesperado e busquei uma usada mais nova, mas de tão valorizada que ta, vale a pena comprar uma nova.
    Foi o jeito comprar uma Teberé azul 2012.
    Comprei totalmente sem gostar da moto e da cor.
    Fiz tudo como mamda o manual pra amaciar, troco o óleo a cada 1000Km assim como fazia na Lander.
    Agora posso dizer que a Teneré superou a lander vários níveis acima.
    Mais confortável, mais torque, esquenta menos e a minha faz uma média de 32 – 33Km/L de consumo.
    Agora se puder faça o mesmo…
    Collquei os aros da XRE300 preros com raios cromados 4mm.
    Protetor de mão circuit slim preto.
    Bagageiro da Lander com bauleto Shad S69 Yamaha.
    Lentes do pisca dianteirras cristal e traseira vermelha.
    Protetor de disco dianteiro Circuit Elite prero.
    Para lamas e protetor de bengala da Landee x. (Tirei o original).
    Protetor de peito (barra em alumínio de uma curva a outra do guidão) com sespuma circuit azul.
    Peio de aço do motor em aço original Yamaha.
    Esta semana vou trocar os dois pneus por Michelinn semi cross e por os bauletos laterais pra ir de Boa Vista Roraima até Redenção no Pará.
    QUE TAL???

  6. ténéré mesmo é a 600 e sempre sera

  7. OPA, TENHO UMA FALCON 2003 QUE COMPREI ZERO,HOJE ESTOU PENSANDO EM COMPRAR UMA 250… VISTO QUE DEPOIS DE QUASE DEZ ANOS RODANDO AS DUAS PARECEM TER O MESMO DESEMPENHO…

  8. A chamada “bateção de válvula” sobre a qual reclamam melhora MUITO quando se abastece a moto com gasolina Podium.

    O barulho praticamente some no momento em que se dá a partida após abastecer.

    Acredito que a diferença de preço entre a Podium e a comum (cerca de 1 Real aqui no ABC) não se torna crítica quando falamos de um tanque de 16 litros.

    Eu realmente recomendo.

  9. Rafael Portela

    Bom pessoal,
    Eu tinha uma Lander 2007 e queria trocar por esta Teneré, ou uma falcon 2008 ou uma XT 2005 ou até mesmo uma XRE 0km. Optei depois de muito pesquisa e paqueras, pela Teneré 250km. Na minha opnião, agora que ela já saiu da revisão dos 1000km posso dizer com certeza que fiz um excelente negócio. Eu adorava a minha Lander, que diga-se de passagem nunca deu problemas e a Teneré conseguiu melhorar muito a moto que já era boa. Estou muito satisfeito com a imponencia da moto, o conforto que a bolha e o banco proporcionam, a moto ficou mais fácil de pilotar e apesar do motor ser 250cc continuo fazendo minhas viagens ao litoral 250km no máximo 300km com um consumo de 30Km L. Espetáculo.

  10. * Equipe MOTONAUTA

    Ola Neto

    Você realmente curtiu essa sua moto ?

  11. FALA GALERA!ESTOU CURTINDO MINHA TENERE 250cc 2012 0KM REALMENTE ÚNICA RECLAMAÇÃO Á FAZER SOBRE Á MOTO.SÃO MOTOR REALMENTE MUITO BARULHENTO,ENGATE DAS MARCHAS SÃO DUROS,FALTOU APENAS UM BAGAGEIRO PRA DAR UMA INCORPADA NA TRAZEIRA QUE É MUITO DESPROPORCIONAL Á SUA DIANTEIRA.NO RESTO Á MOTO É SHOW!!!!!

  12. tenho uma lander 07/07 e ela ja ta com 100,000km nesse ponto ja ta com um consumo elevado pra a moto mas ainda bebe menos que a tornado 07/07 de um amigo, e essa tornado dificilmente acompanhava ela na estrada.
    já deu maxima de 145km/h(nao recomendo fazer o mesmo) mas queria ver o que ela dava.
    andando a 110km/h diariamente na minha rotina a BH ida e volta ela ficou ate os 60.000km dando uma media de 32km/L andando a 80km/h deu 36km/L.
    viajei a sao paulo com minha ex namorada nela 2pessoas bauleto cheio e mochilas deu uma media de 30km/L. fantastica essa moto, agora to trocando ela na tenere250 11/11. espero ficar tao satisfeito com ela quanto fiquei com a lander.
    Parabens yamaha meritos dela que tá deixando a honda cada vez mais pra traz, a sorte que da pra ver elas pelo retrovisor.KKKK

  13. ola galera sou moto-boy ja tive varias motos como comentou o flavio me assustei com o barulho do motor o represetante informou normal mas so isso; versatilidade 10 conforto 10 arrancada(torque) 10 para uma moto 250cc nao encontrei uma xre300 que a ultrapasse consumo 10 agilidade entre os carros 100(cem)resumindo e um espetaculo de moto,tuister,tornado,cb300,xre300 ja ficaram para traz ,ate a falcon 400cc teve trabalho p ultrapassar a agilidade da tenere e imprecionante.valeu abraço!

  14. Só acrescentar uma coisa…andando dentro do que a moto se propõe ela é muito confortável e não passa vibração para o guidon. Toda moto, quando começa a passar a vibração para o guidon é porque vc está andando acima do giro ideal. Esse tipo de moto não visa velocidade e sim versatilidade o que ela tem de sobra. Quem quiser velocidade eu aconselho uma Hornet.
    Abraços.

  15. Caros amigos,

    compartilho com vocês a experiência de ter essa TENERÉ. Realmente ela tem uma ciclistica surpreendente e uma resposta acima da expectativa, considerando o estilo e a limitação de um motor de 250cc. A reportagem ficou ótima, mas estou vendo que todos nós ficamos meio assustados com a bateção de válvula que o motor passa. A minha já está com 2.500km, já fui na concessionária e me disseram que é normal. Já tive 29 motos de todo tipo e cilindrada e isso não é normal. A reportagem faltou em abordar essa situação. Abraços a todos.
    EVERALDO

  16. opsss…
    Eu troquei uma tornado por uma tenéré 250 branca. Moto linda e muito boa. Estou realmente sastifeito com ela até este momento. Já reclamei na concessionária sobre a vibração (barulho) do motor e me falaram que era normal. Fiquei um pouco assustado quando começou o alerta do nível de combustível: fui abastecer e coube menos de 10 litros. Realmente um pouco de exagero acedn der o alerta tendo ainda uns 6 litros. Voltando aos elogios: gostosa de pilotar na estrada de chão e no asfalto. A moto balança pouco com a turbulência de caminhões. Mantém bem a velocidade nas subidas; não cansa o piloto mesmo andando sem parar por 250km; consigo fazer 30km/l, andando no misto e sem exagerar no asfalto (90-100km/h). Além do charme do “huauuuu” dos espectadores.

  17. eu troquei a minha xtz 125 e peguei a tenéré 250 moto muito boa estou muito sastifeito com ela avibracão citada a cima ela diminui sim depois do amaciamento do motor. a yamaha esta de parabéns pelo lansamento da tenéré 250 tem pessoas que não gostou mais gosto não se descuti e parabéns motonauta pelas suas avalicões da melhor moto na categoria 250cc um abraço pra todos

  18. E ai gente estamos esperando um teste com mais de mil KM para saber se o consumo e a trepidação melhorou mas a matéria ficou ótima nos ajuda a escolhermos melhor as motos para este nosso pais com dimensão continental e com belezas naturais indescritíveis que muitas vezes so podemos ver de moto.

  19. Comprei uma tenere 250 esta semana, troquei numa fazer, já tá com 300 rodados, é tudo que foi falado no teste, muito boa,anda muito bem, cheguei nos 130 km/h, mas vibra um pouco, a reserva acendeu com 9 litros gastos.Mas da de 10 a zero na honda.

  20. fiz um teste driver em uma tenere 250 e estou louco pra compra uma essa moto e de mais cara, ela e boa em tudo desing e motor, ja a xre300 parece um mosquito da dengue

  21. Parabéns pela matéria ficou show de bola!!

    Vendi a poucos dias minha XTZ 125 motard e estou com uma
    duvida enorme entre a XRE 300 ou a Teneré 250, pois acho
    as duas muito bonitas e com estilos diferentes, parabéns aos proprietários da nova T sem dúvida ela é linda!!!!

  22. O Brasil merecia uma versão 350-450cc. Acho que nem tem Ténéré nessa faixa. Mas seria um sucesso com certeza e acabaria com o vão (250-660) da família.

  23. Carlos Melo de Recife

    Olá pessoal, comprei uma Tornado em 2008, assim comprei, logo em seguida tiraram de linha, mas tudo bem. só percebi tres coisas que acho eu, nao é adimissivel em uma moto do porte da Tornado, ou seja: nao tem marcador de combustivel, nao tem frei a disco na trazeira e nao sei se so a minha vez e outra me deixava na rua , engasgava e tinha que esperar pra pegar de novo .. fora isso. nao tenho queixa, mas esse ano resolvi comprar outra moto zero, e estava super inclinado pra pegar uma XRE 300 da HONDA, quase fecho negocio nao autorizada, mas andei ouvindo comentários de quem já tinha uma, que ela vibrava muito em em alta velocidade e que tava dando vazamento na janta do cabecote do motor. enfim, fui comprar uma LANDEN da YAMAHA, que todo mundo falava maravilhas, e quando cheguei na loja o vendedor disse que tava em falta que iria demorar muito a chegar nova remessa e me recomendar a TENERE 250 , que segundo ele. tem o mesmo motor da LANDEN e as outras vantagens jpa descritas aqui por outras pessoas, de cara, gostei do desenho dela, com marcador de combuistivel. com freios a disco nas duas rodas , farol duplo, um tangue de combustivel com 16 litros. ou seja tudo bem. vou pegar ela amanha e vou ver como fica, abracos a todos .

  24. QUEM QUISER CORRER MAIS DE 120 KM ,TEM QUE COMPRAR UMA MOTO ESPORTIVA DE QUATRO CILINDROS, Á TENERE 250 NAO FOI FEITA PRA ISTO, E SIM PRA ANDAR NORMALMENTE EM PISTAS RUINS COMO AS QUE TEMOS NO BRASIL ELA É MAIS PARA COMFORTO EM PISTAS IRREGULARES.

  25. OTIMO TESTE GOSTEI MUITO,DOS COMENTARIOS , ACABEI DE COMPRAR Á MINHA, ESTOU MUITO SATISFEITO ,ACHEI Á MOTINHA NOTA 10 VOU USAR ESTA UNS TEMPOS DEPOIS VOU COMPRAR Á TENERE 660 DAQUI UNS TEMPOS.

  26. Marcelo [SãoSebá]

    YAMAHA XTZ 250 TÉNÉRÉ? [Sniff… Sniff…]
    Bom, mais quem sabe agora as portas estarão abertas
    para a chegada das irmãs Maiores?
    Que cheque logo logo a Yamaha XT 660 TÉNÉRÉ! Ae Sim!
    Marcelo [SãoSebá]

  27. * Equipe MOTONAUTA

    Bom dia Flávio

    Nós do Motonauta aplicamos um modelo de avaliação que também contempla a manutenção das leis de trânsito. Voce não verá dinamômetros, trajetos em pistas ou coisas do gênero, pois não são coisas do dia-a-dia do consumidor !

    Muito obrigado pela participação e feliz 2011 ..

  28. Amigos, no teste aí não foi dito que a motoca só dá 120km/h de máxima e sim que ela se saiu bem em rodovias onde a velocidade máxima é a 120km/h. Já foram feitos diversos outros testes com ela e a maioria declara que conseguiram cerca de 135km/h de máxima, mas é claro que tal velocidade foi obtida no limite do motor, ou seja, com o giro na faixa vermelha.
    Não adianta querermos milagre de uma 250, ainda mais monocilíndrica e on/off road…
    Fiquei cerca de 8 anos com uma shadow 600, que apesar dos seus 2 cilindros, também vibrava tanto a 120/130km que chegava a “adormecer” a mão, isto sem falar na XT600,que era bem pior neste quesito…rsrs
    Aprendi nestes meus 22 anos que ando de moto, que se a idéia é correr, comprem uma bike então…rsrs
    P.S – recentemente vendi a shadow e agora penso em pegar esta bicha aí….
    Valeu Abraços

  29. Boa noite Brasil!
    É hoje que vi pela primeira vez a noticia dessa nova Yamaha; fantááástica!! Eu tenho uma Lander há um ano e meio, vivo nos Andes peruanos, e a minha Lander já tem feito 12.000 kms em estradas bem asfaltadas, mal asfaltadas, não asfaltadas e trilhas feias das feias, de 0 até 5.000 metros de altura. A Lander realmente faz muito bem isso, e os únicos comentarios que eu tinha pra minha moto agora são resolvidos pela Yamaha! Cuando tiver dinheiro, é a nova Ténéré 250 que vai passear pelas praias, montanhas e selva do Perú!
    Muito bom articulo; adorei. Agora a esperar que se vende no Perú.
    Um abraço.

  30. Leonardo "Duke"

    Boa estréia do Claudinei, e já testando a nova queridinha do mercado… parabéns ao Motonauta.

    queria sugerir, se já não estiver na pauta, o teste da NXR 150 Bros ESD… estava no consórcio de uma CB 300 ABS mas, por aperto financeiro, passei minha cota pra esse modelo.

  31. Estou decidido em comprar uma Teneré,sempre gostei das motos da Yamaha…a primeira vista,tambem achei ela feia,mas não sei oq ela tem q me fascina,ela parece ser bem confortavel e boa na pista,queria fazer um test drive

  32. Fernando Pé de Pano

    Parabéns Claudinei e equipe pela matéria.

    A vibração nestes primeiros quilômetros ocorreu na minha também em velocidades maiores, mas percebi uma redução agora já com 920 km rodados.
    Vamos aguardar o lançamento do bagageiro.

  33. Antonio,

    A vibração realmente chegou nas mãos quando mantidos 120km/h por muito tempo.
    Ela tem coxim de borracha no suporte do guidão, mas vale lembrar que nesta viagem a moto estava com 450 km rodados (em pleno amaciamento) e normalmente após os mil km melhora tanto na vibração quando no consumo.

    Obrigado

  34. Excelente matéria…parabéns!!

    Com relação a moto, só achei que ficou estranho o pneu dianteiro. Colocaram um muito fino, que parece de bicicleta e destoa do conjunto quando a moto é vista de frente! Abraços…

  35. Diogo Hosp,

    Você tem razão, o texto já foi revisado. Mas convenhamos que a reserva acender faltando teoricamente 5 litros ou praticamente 1/3 do tanque é um pouco de exagero.

    Obrigado pela correção.

  36. * Equipe MOTONAUTA

    Ola Vini

    A observação é pertinente … a moto estava amaciando sim ! Consumo e desempenho nessa situação são baixos mesmo.
    Quanto a velocidade máxima, o MOTONAUTA nunca irá infringir as leis de transito.
    Então realmente o máximo que chegamos foi a 120 km/h. Faça o mesmo …

    Muito obrigado pela participação

  37. Gostei da moto. Mas o consumo é igual ao da minha falcon 99 com 120.000 km de história.
    E os 120km/h é a velociade máxima? Tb perde para minha falcon velha de guerra.

    Espero que amaciada ela fique melhor.

  38. Amigos, me desculpem a franquesa, mas ” a vibração do motor passou para o guidão e as mãos chegaram ao destino dormentes” é um ítem importante de avaliação referente ao conforto. A qual velocidade exatamente estamos falando? A 120km/h a moto está a beira de sua rotação máxima oferecendo esse desconforto?
    A Ténéré tem o guidão apoiados em cixins igual a lander? Esse ítem deveria ser revisto.

  39. Primeiramente, meus parabéns a toda a equipe de reportagem, pois a matéria ficou muito legal. Apenas gostaria que fosse corrigido a informação com relação a reserva de gasolina no tanque, que não é de 1,5L e sim de 4,8L (provavelmente por isso que nos testes ela acusa no painel na “hora” errada). Gostaria também de deixar uma dica para que façam outra reportagem como essa com a Tenéré 250 já amaciada, para que possamos avaliar a diferença e a real capacidade da moto.

  40. Renan Augusto

    Primeiramente parabéns a equipe motonauta pela execelente máteria, muito bem relatada e fotografada.
    Em relação a tenere 250 o que eu posso dizer é que a motocicleta é fantástica, tanto na comodidade que se tem para pilotagem, quanto na resposta do motor de 250cc. Meu irmão adquiriu uma essa semana e estamos impressionados com a beleza do acabamento e desenpenho da danada. Como foi citado na máteria a moto realmente é um sucesso, onde andamos e paramos aqui em nossa cidade somos cercados de curiosos fazendo perguntas ou simplismente querendo ver a moto de mais perto. Ponto pra Yamaha que creio eu acertou na receita dessa vez, deixando passar apenas pequenos pontos negativos que se comparados a harmonia da motocicleta são relevantes.

    Forte abraço!

  41. Essa semana fui contemplado em meu consórcio da Lander, mas fiz a opção de trocar pela Tenere.
    Estou adorando, muito conforto, potência na medida certa para ultrapassagens, excelente farol para viagens a noite… Tudo de bom!

  42. Olha, eu até achava ela feia, mas quando a vi em uma loja, passeia a vê-la com outros olhos. Até a traseira que eu achei estranha parecia um pouco mais bonita. Não vi o bagageiro, mas acredito que com este acessório a moto ficará mais harmônica. Ponto positivo para a Yamaha que trouxe ao Brasil um produto com design diferenciado.

  43. * Equipe MOTONAUTA

    É isso ai meu caro

    O tempero da vida são as diferenças !

    Obrigado pela participação …

  44. MEu que moto feia do caramba , nao curti

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>