BIGtheme.net http://bigtheme.net/ecommerce/opencart OpenCart Templates
Home / Avaliações / Yamaha YS 250 Fazer … avaliamos!

Yamaha YS 250 Fazer … avaliamos!

Lançada no mercado brasileiro em 2005, a Yamaha YS250 Fazer foi a primeira motocicleta na faixa de 250cc equipada com sistema de injeção eletrônica de combustível. Esse produto surgiu para competir diretamente com a Honda CBX 250 Twister na categoria Street de 250 cc.

O Sistema Yamaha de Injeção Eletrônica, proporciona alimentação ideal para o motor (mistura ar-combustível) em todos os regimes de funcionamento, além de contribuir para a diminuição de emissão poluentes na atmosfera. A partir de 2010, passou também a contar com uma sonda Lambda (sensor de oxigênio) e novo catalisador.

Anteriormente às exigências legais, a Yamaha já comercializava a Fazer com emissões inferiores aos limites estabelecidos pelo Promot ( Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares), para comercialização de seu modelo de exportação, a YBR250, em países onde vigorava a norma Euro III (equivalente ao Promot III).

Nos primeiros anos de fabricação, a Fazer estava disponível nas cores vermelha, preta e cinza. A cor cinza foi substituída por azul nos anos de 2007 e 2008. Também, em 2008, foi lançado o modelo LE (Limited Edition), com sua pintura predominantemente fosca e na cor preta, incluindo seu motor. Contava, ainda, com um kit de adesivos vendidos separadamente que deixava o modelo com aparência de moto de maior cilindrada.

Em 2006 e 2007, a Fazer YS250 foi eleita a “Moto do Ano” pela revista Duas Rodas em sua categoria. Nos modelos fabricados até 2010, possuía um painel de instrumentos analógico, um display digital de cristal líquido multifuncional com os indicadores de quantidade de combustível, hora, hodômetro total e dois parciais (trip 1 e trip 2).

O modelo 2010, lançado em 2009, possuía as cores vermelha, preta e prata. Foi apresentado, também, outro modelo LE (Limited Edition) apresentado em 2010, na cor preta fosca e adesivos dourados.

Totalmente reestilizado esteticamente, o modelo 2011, lançado em 2010, possui as cores preta, vermelha e roxa. Para o modelo 2012, lançado em 2011, os grafismos do tanque foram removidos e há adesivos prateados na carenagem.

O conjunto ótico, farol multirefletor e lente em policarbonato parecido com sua irmã maior, a XJ6, recebe uma lâmpada de 60 w. Os indicadores de direção são em forma de gota e a rabeta recebeu uma nova lanterna em LED inspirada na YZF-R1.

O painel de instrumentos conta com display analógico (contagiros) e digital multifuncional, com os indicadores de velocidade, combustível, hora, hodômetro total e dois parciais (trip 1 e trip 2), luzes espia e, quando o tanque de combustível atinge a reserva, indicador de autonomia (f-trip), possui boa iluminação à noite e é de fácil leitura.

O tanque, com tratamento em zinco, foi redesenhado abrigando, assim, 19,2 l de combustível (4,5 de reserva), rabeta ascendente com lanterna integrada, pára-lama integrado ao cobre corrente, suporte de placa saliente também integrado ao pára-lama, alças do garupa, novo desenho do silencioso que abriga catalisador, rodas de liga leve com cinco raios duplos em forma de estrela, transmitem um visual muito encorpado e agradável ao conjunto.

O assento comporta duas pessoas e possui bom grip. Sua altura, de 805mm, é um pouco desconfortável  para pessoas de estatura mais elevada causando, assim, alguma fadiga em trajetos mais longos.

Seu motor é um monocilíndrico quatro tempos de 249cc, comando de válvula no cabeçote, desenvolve 21 cv de potência a 8.000 rpm e torque máximo de 2,10 kgf.m a 6.500 rpm. O pistão da Yamaha Fazer YS250 é forjado e o cilindro conta com revestimento de cerâmica dispersiva de calor, mesma tecnologia empregada nos modelos de maior cilindrada da marca.

O propulsor ainda possui elementos que contribuem para um funcionamento bem linear, como o “Balance Engine”, que é um sistema de contrapesos no eixo do virabrequim, caixa do filtro de ar com grande capacidade (3,5l) para um funcionamento melhor do motor em baixas e médias rotações e caixa de câmbio de 5 marchas reforçada. O sistema de arrefecimento é a ar e ainda possui um radiador de óleo.

O funcionamento do motor é garantido pela Unidade de Controle Eletrônico (ECU), que verifica e analisa as leituras dos sensores para propiciar um melhor desempenho nos vários regimes de rotação e condições de pilotagem. Há, ainda, um sensor que verifica o ângulo de inclinação da motocicleta. Se esse ângulo for superior a 65º, a injeção de combustível é interrompida: útil, em caso de queda.

O chassi, de berço duplo, em conjunto com a suspensão dianteira composta de barras de 37mm de diâmetro e a traseira, monoamortecida, ambas com curso de 120mm, proporcionam rigidez e conforto ao conjunto e uma boa ciclística. A novidade fica por conta da balança traseira, que passa a ser fixada por roletes.

Os freios a disco, dianteiro com 282mm de diâmetro e pinça com dois pistões e o traseiro, de 220mm e pinça com pistão simples, item de série nesse novo modelo, proporcionam frenagens muito seguras. Os motociclistas com menos experiência devem tomar certo cuidado ao aplicar o freio traseiro, pois se acionado o pedal com muita pressão, causa travamento na roda comprometendo, assim, a dirigibilidade.

Um dos destaques da Fazer YS250, é o baixo consumo de combustível. O consumo médio no trecho urbano foi de 30,4 Km/l e no trecho rodoviário, 33 Km/l, isso se respeitado os limites de giro impostos pela faixa vermelha do indicador e os limites de velocidade.

No deslocamento urbano, a motocicleta comporta-se bem e é ágil nos corredores, permitindo mudanças de faixas com muita facilidade. Seu motor, que premia as baixas e médias rotações, é bom para esse tipo de tráfego.

Em estradas, a Fazer YS250 não deixa a desejar a motocicletas em sua categoria. A velocidade de cruzeiro, entre 100 e 110 Km/h, é atingida com facilidade e é possível manter essas velocidades mesmo em subidas longas. O motor mantém um funcionamento linear e vibrações não foram detectadas. A rigidez do conjunto propicia uma pilotagem segura em trechos de reta e, principalmente, em serras.

A posição de pilotagem é boa, porém em trajetos mais longos e para pilotos de estatura mais elevada, há um certo desconforto em relação à altura do assento e as pedaleiras. O garupa também sentirá esses efeitos.

Finalizando, a Fazer YS250 apresenta um apelo visual moderno, harmônico e agradável. É uma motocicleta equilibrada  para o transporte individual urbano e para pequenas viagens nos finais de semana.

Ficha Técnica

Comprimento total 2.065 mm
Largura total 745 mm
Altura total 1.065 mm
Altura do assento 805 mm
Distância entre eixos 1.360 mm
Altura mínima do solo 190 mm
Peso seco 137 Kg
Raio mínimo de giro 2.4 m
Motor 4 tempos, OHC, refrigerado a ar com radiador óleo, 2 válvulas
Quantidade de cilindros 1 cilindro, 2 válvulas
Cilindrada 250 cc
Diâmetro x curso 74,0 x 58,0 mm
Taxa de compressão 9.80:1
Potência máxima 21 cv a 8.000 rpm
Torque máximo 2,1 kgf.m a 6.500 rpm
Sistema de partida Elétrica
Sistema de lubrificação Cárter úmido
Capacidade do óleo do motor 1,5 litros
Capacidade do tanque de combustível (reserva) 19,2 litros (4,5 reserva)
Alimentação Injeção eletrônica
Sistema de ignição TCI
Bateria 12V x 6 Ah, selada
Transmissão primária engrenagens
Transmissão secundária corrente
Embreagem Úmida, disco múltiplo – mola helicoidal
Câmbio 5 velocidades, engrenagem constante
Quadro Berço duplo de aço
Ângulo de cáster 26° 30′
Trail 104,5 mm
Pneu dianteiro 100/80 17 M/C 52S
Pneu traseiro 130/70 17 M/C 62S
Freio dianteiro Disco hidráulico de 282 mm de diâmetro
Freio traseiro Disco hidráulico de 220 mm de diâmetro
Suspensão dianteira Garfo telescópico
Suspensão traseira Mono amortecida
Curso da suspensão dianteira 120 mm
Curso da suspensão traseira 120 mm
Painel de Instrumentos Painel digital – velocímetro, hodômetro total e dois parciais (trip1 e trip2), mais hodômetro do combustível (f-trip), marcador do nível de combustível digital e relógio. Luzes espias – contagiros análogo.
Peso (ordem de macha) 153 kg
Cilindrada real 249,0 cc
Relação de redução primária 74/24 (3,083)
Relação de redução secundária 45/15 (3,000)
Cores preta, vermelha e roxa

Sobre Hilwaldo França

Além disso, verifique

Versys 1000

Kawasaki Versys 1000 é diversão garantida

Há uma coisa estranha acontecendo na categoria de moto aventura. Toda a categoria foi criada ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>