BIGtheme.net http://bigtheme.net/ecommerce/opencart OpenCart Templates
Home / Com a palavra / Postura e Movimentos que tornam seu pilotar melhor

Postura e Movimentos que tornam seu pilotar melhor

Dia 20 de maio deste ano, me vi em uma situação inimaginável dentro de meu dia a dia.

Fui internado devido a fortes dores nas costas e diagnosticado, após exames, de hernia de disco extrusa. Fiquei com a perna direita paralisada e fui medicado com doses cavalares de analgésicos, ansiolíticos, bem como outros tantos.

Quando comecei a ter a consciência devolvida, comecei também a entrar num desespero profundo pela perda dos movimentos, perda da sensibilidade, e pelo sentimento de “não” poder voltar a fazer o que mais amo, que é andar de moto.

Pagando esse alto preço pelos meus 55 anos de obesidade e sedentarismo, recebi alta hospitalar após 11 dias, voltando ao lar andando, mas com MUITAS restrições, dores, e totalmente sem sensibilidade da perna direita, aliada ai uma sequela neurológica que me paralisou parcialmente os dedos do pé direito, e que se mantem até hoje.

Por uma sorte celestial, os dois médicos que me atenderam eram motociclistas, que puderam acalmar minha família e a mim mesmo quando afirmaram que meu caso não foi gerado por motocicletas. Na clinica, o Dr. André Horácio de Souza pode explicar detalhadamente a situação e estabelecemos como meta se evitar a cirurgia; e daí sua indicação para tratamento fisioterápico junto com a Dra. Camila que cheia de muita paciência e urbanidade conseguiu nos mostrar o quão TORTO me encontrava e o porquê estar mais de sete centímetros abaixo da altura costumeira. Foi tenso!

Bem, fisioterapia diariamente, e duas vezes por semana no consultório; e depois de cinco meses de dedicação, já podemos comemorar as vitorias, e ter esperanças e motivação para continuar até o fim.  Seja lá quanto tempo levar …

Estamos completando ainda dois meses de autorização médica para uso de scooters e não por mais de 7 a 10 quilômetros por trecho. Antes que perguntem, tem sim que ser scooters para não ter que levantar e jogar a perna direita para trás.

Esse processo doloroso me fez ver o quanto precisamos nos observar e nos cuidar; seja no dia a dia, seja nas viagens curtas ou longas. Cuidar do “esqueleto” não deixa de ser uma forma de segurança e conforto para o motociclista.

Independente  de qual tipo de moto ou pilotagem que você pratique, existe um assunto em comum a todos, que é a tensão muscular que o uso da moto trás para o corpo ao longo das horas.

Isso se dá por várias razões e podemos citar algumas aqui: A atenção que deve estar no trânsito, o peso do capacete, a permanência na mesma posição durante muito tempo, sem uma boa base de apoio para o quadril e sem descanso para a coluna, os movimentos do punho e dos dedos das mãos para acelerar, frear e trocar de marcha, entre outras coisas, sem contar no equilíbrio do tronco … Tudo isso somado, gera uma grande tensão para o corpo do motociclista. Isso negligenciado uma vez ou outra não trará grandes males, mas, ao longo dos anos, pode acarretar em alterações posturais, consequentemente, trazendo dores.

Não podemos ignorar esse fato, visto que hoje a motocicleta é o meio de transporte muito utilizado pelos jovens. Alterações de postura quando não tratadas, são causas importantes nos problemas de coluna, como por exemplo, a já citada hérnia de disco.

A posição “sentado” é a que trás mais pressão para os discos da coluna, principalmente quando sentamos de maneira errada. Permanecer por longos períodos  nessa posição, também prejudica a circulação sanguínea, gera encurtamentos e tensões musculares, causando desequilíbrio postural. Primeiramente, é importante saber a maneira correta de sentar, visto que essa é uma posição em que passamos grande parte do nosso dia.

Existem dois ossinhos no nosso quadril chamados ísquios, que são responsáveis também por sustentar nosso corpo sentado;  se conseguimos manter o apoio sobre eles, jogaremos menos pressão na região lombar. Podemos acionar a musculatura do transverso do abdômen imaginando como se estivéssemos vestindo uma calça apertada, levando o umbigo na direção da coluna, de uma maneira sútil.

Junto com essa musculatura contraída, imaginar que, existe um ganchinho que puxa o topo da cabeça para o teto, acionando assim a musculatura profunda do seu corpo, que é responsável também, por sustentar sua postura. Esses pequenos cuidados, farão diferença no seu dia a dia e na realização dos movimentos a seguir, que não tomaram mais do que 10 minutos do seu dia, e trarão grandes benefícios para seu corpo.

Fica aqui uma série de 10 dicas de movimentos para “alongar” o prazer de sua pilotagem :

Em pé, pés paralelos, joelhos relaxados. Mantenha um bom alinhamento do seu tronco, como se um ganchinho estivesse puxando sua cabeça para cima. Dê pequenas batidinhas com os calcanhares no chão, como se tivesse uma mola em baixo dos calcanhares. Faça 10 vezes e descanse. Com esse movimento, a musculatura da perna será acionada, melhorando assim a circulação.

Em pé, pés paralelos, com bom alinhamento de todo corpo, ainda imaginando o ganchinho puxando o topo da cabeça para o teto. Dobrar uma perna, com coxa e joelho a 90°, e fazer círculos com o tornozelo 5 vezes em cada sentido, descansar apoiando esse pé no chão. Novamente com essa perna dobrada manter sola do pé paralela ao chão e fazer movimentos de círculos com a perna, mantendo a coxa parada. Repetir 5 vezes cada sentido. Descansar e fazer com a outra perna. Se tiver dificuldade de equilíbrio num pé só, apoiar a mão em alguma superfície durante o movimento. Esse movimento ajudará a lubrificação das articulações de tornozelo e joelho, além de trabalhar a força da perna e ajudar no equilíbrio.

Em pé, pés paralelos e alinhados, dobrar um dos joelhos aproximando o calcanhar do bumbum. Segurar esse pé com a mão do mesmo lado, mantendo o abdômen contraído para não aumentar a curva da lombar, segurar por 30 segundos e repetir mais duas vezes. Descansar e fazer do outro lado. Com esse movimento conseguimos alongar a frente da coxa, aliviando tensões nos joelhos e quadril.

Sentado, cruzar uma das pernas sobre a outra fazendo um 4. Inclinar levemente o corpo para frente (mantendo a coluna reta). Ficar nesta posição por 30 segundos. Repetir do outro lado. Nesse movimento vamos alongar a musculatura do piriforme, e trazer um melhor conforto para lombar.

Sentado,  segurar o polegar de uma das mãos com o primeiro e segundo dedo da mão oposta. Fazer um pequeno movimento girando o dedo para dentro e para fora, com uma leve tração, como se fosse sacar uma rolha. Fazer isso em cada dedo, depois, faça movimentos circulares entre os dedos, nessa “pelinha”, que temos entre um dedo da mão e outro. Esse movimento deve ser com uma pressão leve, pois é uma região mais sensível. Observe a diferença da mão trabalhada em relação a outra, e repita do outro lado. Bom movimento para relaxar a musculatura das mãos e braços.

Sentado, segurar a pele da região cervical, atrás do pescoço, como um grande beliscão. Manter e fazer 10 movimentos de “sim” com a cabeça, depois fazer 10 movimentos de “não”, girando a cabeça para as laterais. Relaxe e com a mão direita, segure no espaço entre o pescoço e o ombro esquerdo, repita o beliscão nessa região, e faça movimentos de círculos com o ombro esquerdo 10 vezes em cada sentido. Descanse, e repita o movimento no ombro direito. Esse movimento tem como objetivo relaxar a musculatura do trapézio (músculo posterior do tronco) que tem tendência a se tensionar.

Em pé, pés unidos se possível, ou com os pés paralelos e afastados na largura do quadril. Entrelaçar os dedos das mãos e posicioná-los atrás da cabeça, na região da nuca. Olhar para frente, no horizonte e a cada expiração imprimir uma pequena força da cabeça contra as mãos, utilizar esta força para crescer em direção ao teto. Repetir 3 vezes e descansar. O objetivo desse movimento é trabalhar a musculatura profunda, melhorando o empilhamento das vértebras e da cabeça.

Em pé, com os pés paralelos, girar a cabeça lentamente para um lado e para o outro, mantendo os ombros parados. Repetir 3 vezes. Girar os ombros para um lado e para o outro, mantendo agora a cabeça parada, repetir por 3 vezes. Girar a cabeça para um lado e o ombro para o outro, como se fosse olhar por cima do ombro, repetir 3 vezes. Esse movimento melhora a mobilidade entre ombro e pescoço, favorecendo assim o aumento do campo visual.

Sentado em um bom posicionamento, colocar os dedos indicadores no inicio das sobrancelhas e afastar os dedos devagar, fazendo uma leve tração na pele. Não aproximar os dedos, apenas afastar as sobrancelhas. Repetir algumas vezes. Ajuda a aliviar as tensões e dores de cabeça.

Sentado, posicionar as mãos em concha sobre os olhos, de forma que os dedos estejam numa diagonal sobre a testa. Impedir toda entrada de luz e abrir os olhos tentando observar a escuridão.  Relaxar toda a face, os olhos, imaginar cenas agradáveis. Dar piscadelas leves e de vez em quando fechar suavemente, alternando com piscadas mais fortes, usando a contração das pálpebras e da musculatura da face. Repetir algumas vezes. Fechar os olhos. Retirar as mãos, deixar os olhos se adaptarem a luz e lentamente abri-los. Esse movimento tem o objetivo de relaxar a musculatura dos olhos que no caso do motociclista está sempre tensa com foco na estrada. É legal observar a claridade e as cores no ambiente, e a  lubrificação dos olhos antes e após o movimento.

Tenha que antes, durante, e depois; alongar é fundamental ! … BOA PILOTAGEM

***

Do conjunto da obra :

João Tadeu Boccoli – compilação e texto

Camila Gabriel – fisioterapeuta na empresa Amil (Total Care) que tem tratado do meu caso dentro dos ditames da Ginástica Holística®, e que aceitou o desafio de estudar as dicas voltadas diretamente aos motociclistas.

Francisco Alison A. Camargo – responsável há 13 anos pela administração e docente nos cursos de desenho artístico e história em quadrinhos do Estúdio/Escola Além da Imagem (www.alemdaimagem.com.br), que deu vida ao OTO se exercitando.

Postura e Movimentos que tornam seu pilotar melhor

Referência : Ginástica Holística® é uma técnica que  age simultaneamente sobre a respiração, o equilíbrio e o tônus muscular visando à melhora da postura; desenvolvida por Lily Ehrenfried, e que tem no Brasil a Dra. Patricia Lacombe como a formadora oficial do método e a responsável técnica da UCP.  O nome Holístico vem do pensamento de trabalhar o corpo como um todo, e não de maneira segmentada; buscando assim proporcionar uma melhor utilização do potencial perceptivo, sensorial e motor do praticante, trazendo uma atitude corporal harmônica, podendo assim trabalhar de forma preventiva e também no tratamento dos mais diversos desequilíbrios musculares.

Sobre * Equipe MOTONAUTA

Além disso, verifique

Cinco dicas para pilotar sua motocicleta com segurança

A frota de motocicletas tem crescido bastante no Brasil nos últimos 10 anos e naturalmente ...

13 comentários

  1. claudio ferreira

    Ola Parabéns pelo texto. Sou motociclista também e sofri muito com hernia de disco até descobrir a G.H. faço Patricia Lacombe e estou muito satisfeito. Em 2008 passei 1/3 do ano de cama por causa sa hérnia. Esse ano acabo de fazer uma viagem de moto para a Bolivia e Peru. Foram 22 dias sentado na moto. Recuperação total. Conheça a aula de coluna e fitness, seria um nivel mais acima. Abraço

  2. Jesulino Ferraz de Oliveira

    Gostei muito do artigo, piloto uma Kawasaki ER-6n, e estou participando do grupo de ginástica holística da Amil Total care, com a Dra. Camila, tomei a liberdade de imprimir o artigo para treinar os exercícios. Parabéns à todos que participaram do artigo e a Dra; Camila por tê-lo indicado a mim. Parabéns também por todo o site, diagramação bacana e artigos de alta qualidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *